MEIA VOLTA, DEBANDAR!

FALTA DE PERSPECTIVA PROFISSIONAL CONTRIBUI PARA REDUZIR O EFETIVO DO APARATO DE SEGURANÇA DO ESTADO; NÚMERO DE PEDIDOS DE BAIXA NA POLÍCIA MILITAR CRESCEU MAIS DE 700% ENTRE 2001 E 2012; SÓ ESTE ANO 40 PMS LARGARAM A FARDA

É cada vez maior a quantidade de policiais e bombeiros militares que têm pedido para deixar as corporações onde atuam. Na Polícia Militar, o número de pedidos de baixa cresceu mais de 700% entre 2001 e 2012. A realidade permanece crescente nesse ano, quando a quantidade de pedidos de licenciamento em quatro meses já se aproxima do número total de todo o ano passado. Em 2013, 40 policiais deixaram a Corporação a pedido.

A razão apresentada para a curva ascendente tem sido similar em diversos casos: a falta de perspectiva de ascensão profissional. Desmotivados e sem enxergar a possibilidade de construir carreiras, policiais e bombeiros têm optado por ingressar em outras profissões. A maioria dos “desistentes” é formado pela base das instituições: o soldado. Na prática, é a graduação que mais tem sentido a falta de apoio do poder público.


Levantamento realizado pela Associação dos Subtenentes e Sargentos da PM/RN a partir de boletins da Corporação, obtido pelo NOVO JORNAL, comprovam a realidade. Em 2001, por exemplo, foram cinco pedidos de afastamento. Os números são crescentes com picos em 2012 e 2013. Ao longo dos últimos dez anos, a quantidade variou entre 10 e 38 pedidos anuais. Nos últimos 12 anos, foram 305 saídas de policiais militares.

As associações de classe demonstram surpresa com os números de 2013, que em quatro meses se aproxima da quantidade total do ano passado. Esse ano foram 40 pedidos, enquanto em 2012 foram 42. Na visão das autoridades da segurança pública, as estatísticas trazem duas preocupações: a sobrecarga de trabalho para os policiais e bombeiros que continuam trabalhando e o consequente prejuízo na prestação de serviço à sociedade.

“Esse é um fenômeno que está indo na contramão de qualquer outra categoria do serviço público. Pessoas que se dedicaram para passar no concurso acabam decepcionadas quanto entram na PM”, avaliou o presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM, soldado Roberto Campos. “Isso é uma prova de que não existe estímulo ao servidor. Eles estão pedindo para sair para fazer outros concursos ou seguir como profissionais liberais”, acrescentou.

O presidente da Associação de Subtenentes e Sargentos, sargento Eliabe Marques, comenta as estatísticas levantadas pela instituição. “São policiais que perderam a motivação para estar na polícia e pedem para sair. Não era uma situação de rotina. Ser policial só vem realmente quem tem vocação e gosta. Quando ele entra tem essa situação toda tem as decepções. Em 2001, foram cinco policiais. A partir daí, começa a aumentar, de modo que em 2013, só nos primeiros quatro meses, já são 40”, analisou.

Para ele, a segurança é diretamente atingida: “A tendência é que esse número aumente. A segurança pública tende a piorar. A segurança está sendo diretamente afetada. Essa situação não é causada pelo atual governo. Isso vem de anos de negligência, de omissão de sucessivos governos. Hoje, quem está no Governo é Rosalba e ela que vai ter que resolver o problema”.

Soldado trocou PM pela Marinha
Wilians Raniere da Silva Rocha, 34 anos, ingressou na Polícia Militar do RN no ano de 2004. Cinco anos depois, procurou a Diretoria de Pessoal para solicitar o desligamento da Corporação. Motivo: falta de perspectiva de crescimento na profissão.
Rocha entrou na PM como soldado e era lotado no Esquadrão de Polícia Montada, a cavalaria. Ao conversar com colegas, percebia o desestímulo dos companheiros. Sem enxergar motivação, decidiu devolver a farda cinza e seguir por outros caminhos. Em 2009, pouco tempo depois de deixar a PM, foi aprovado no concurso da Marinha e hoje é oficial da instituição.
Ao NOVO JORNAL relatou os problemas na PM e a nova realidade que vivencia na Marinha. “Entrei com pensamento de crescer, mas verifiquei que não é bem assim. Encontrei colegas de trabalho que estão lá há muito tempo e não conseguiram promoções”, disse. “Então, decidi procurar outro caminho. Não me acomodar”, completou.
Na Marinha, se diz estimulado em razão da possibilidade de ascensão. “Aqui, as promoções acontecem mesmo e não é porque sou oficial. É bastante gratificante isso”, relatou. Apesar da satisfação da nova profissão, Rocha ressaltou a vontade que possuía de ter permanecido na Corporação desde que houvesse condições.
“Na Marinha, viajo bastante. Se tivesse alguma chance de subir na carreira na PM, teria ficado mesmo ganhando menos”, ponderou.
Licenciamentos a pedidos de policiais militares

2001 5
2002 7
2003 12
2004 4
2005 11
2006 33
2007 38
2008 38
2009 28
2010 23
2011 24
2012 42
2013 40 (até o início de maio)

Acréscimo 2001-2012: 740%
NOVO JORNAL

20 comentários:

  1. Faça parte desse time vc também!!!!!

    ResponderExcluir
  2. É verdade. Conheço soldados que a pesar de estarem se formando odontólogos e médicos, não querem deixar a farda, mas esbarram na falta de um abraço mais imediato da PMRN. Enquanto automaticamente as forças armadas chamam o formando para ser oficial, na PMRN, segundo informações, o cidadão terá de aguardar um concurso interno na área médica para poder ingressar como oficial médico. Se para esses a perspectiva ainda é demorada imagine para os honrados soldados da Gloriosa que não galgaram outros caminhos... é duro. A tendência é realmente, a maioria da tropa, com o passar dos tempos e com o crescimento intelectual da mesma, optar por situações mais promissoras. Ideologia não mata a fome nem muda nada a curto prazo. A necessidade se fará maior quando a sociedade estiver cada vez mais intelectualmente preparada. Aí esses números da "debandada" devem aumentar muuito mais.

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente esse numero só cresce,pois estou na gloriosa a pelo menos 16 anos e durante todo esse período não houve um curso para Sgt e sem expectativa para o futuro. Os colegas partem em debandada para outras profissões onde tenham planos de carreiras.

    ResponderExcluir
  4. Rapaz, essa foi a profissão que aprendi a gostar e que ao longo do tempo me preparei para dar o melhor de mim, seja lapidando meu caráter, seja me especializando tecnicamente. O que eu ganhei com isso? Nada, só a certeza de que muita gente menos capaz que eu se utiliza de códigos arcaicos e falso militarismo para impor suas frustrações.

    Resultado: Só este mês inscrevi-me em dois concursos públicos na tentativa de sair da PM antes que perca a capacidade e o autoestímulo para estudar. Que Deus me abençoe e um dia eu possa dizer: "Fica com Ela(PM) pra vcs oficiais"

    ResponderExcluir
  5. Você soldado pode até ter o título de pós-doutor, mas continuará soldado e sem perspectivas... Essa é a PMRN.
    Não precisa nem "pedir para sair", basta passar num concurso que pague até um pouco menos inicialmente que é mais vantagem, pois em alguns anos seu salário será maior.

    ResponderExcluir
  6. Muitos não largam a farda por trabalharem na rua por um longo tempo e constituirem muitos inimigos e por isso fazem opção de ficar dentro e com algum outro emprego melhor fora...

    ResponderExcluir
  7. ESTOU ESTUDANDO PRA ISSO, OUTROS CAMINHOS POIS O ESTADO NÃO TÁ OFERECENDO O VALOR QUE MERECEMOS, ENTÃO VMS LÁ PESSOAL .... ESTUDEMMMM....

    ResponderExcluir
  8. E companheiros já passou aquele tempo em que exitião policiais semi analfabetos, no qual se viam pressionados por oficiais a fazerem coisas absurdas hoje é somente estudar e fazer outro concurso, enquanto isso aguentamos calados.

    ResponderExcluir
  9. Rapaz eu amo o que faço, mais a PM não me ama, então estou estudando e assim que me formar sairei se Deus quiser. Não vou esperar pelo que não vem.

    ResponderExcluir
  10. ta do jeito q os oficiais querem, o soldado sem dinheiro e sem perspectiva de crescimento. kkkk. nós soldados, estamos ferrados! só Deus na causa mesmo! eu quero até ver como isso vai ficar. vcs lembra daquele tempo q o sd passava fome? pois vai caminhando para esse caminho rapaziada. é como eu digo, só Deus na causa mesmo.

    ResponderExcluir
  11. Se Deus quiser um dia também sairei. Parabéns aos guerreiros que já conseguiram.

    ResponderExcluir
  12. Eu acho as opiniões relevantes quanto ao assunto, mais a pergunta que não calar é a seguinte, para onde esses policiais foram, fizeram concurso pra sair da gloriosa e foram pra onde? AGENTES PENITENCIARIO FEDERAL OU ESTADUAL, AGENTES DA POLICIA CIVIL? Se forem pra essas instituições vão morrer agentes, foram pra onde então? pros correios , PETROBRAS, Banco do Brasil, vão ser professores estadual ou federal? Sim lá eles vão ser valorizados vão receber as promoções devidas em seu tempo e vão trabalhar numa carga horaria até menor que a da PM. Mas, vamos saber dos agentes da PRF se eles são promovidos no tempo, os professores será que todos receberam suas promoções no tempo certo, façam uma pesquisa no sindicato dos professores. Será que os professores chegarão a diretores de escola? os agentes penitenciarios federais vão ser promovidos a diretores de presideos? os agentes de policia civil vão ser promovidos e vão ser toods do ultimo nivel, os que fizeram concurso pros correios vão ser valorizados, por favor mim digam que eu também quero fazer outro concurso. Mas acho que alguem esta esquecendo que optou pra ser funcionario publico no Brasil, com agravante de ser no nosso estado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é por isso que a PM ta assim...com um contingente de BABÕES,ALIENADOS,INCAUTOS e INÚTEIS como vc!!

      Excluir
  13. Estou estudando e se deus quiser alcançarei meu objetivo,um emprego melhor!!

    ResponderExcluir
  14. A pm é uma instituição 100% dos oficiais, apenas eles tem vez, por isso meu amigos no futuro próximo estarei tambem dando baixa, certo que a instituição é séria e importante para a sociedade, no entanto é regulada por uma legislação ditatorial, onde vc nao pode ser filiado a partido politico, não pode votar nem ser votado, não pode fazer greve, não pode ser sindicalizado e por pagar mau, vc não pode acumular com cargo de magistério, não tem direito a Habeas corpus, não tem direito a promoção, não tem direito aos seus direitos. é só peiaaaaaaaaaaaaaaa, de um lado os oficiais e de outro uma justiça que te incrimina e no meio a população que não reconheçe tua importancia. vamos estudar companheiros, muitos concursos abertos.

    ResponderExcluir
  15. é verdade. esse comandante só promove sargentos e oficiais. enquanto os soldados que sao que realmente trabalham e correm risco de vida ficam ai abandonados. isso é uma palhaçada

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Sou policial há 13 anos... e contribuirei com imensa satisfaçao para essa debanda.. pois passei num concurso publico federal e estou apenas aguardando nomeçao.. para o companheiros que ficam.. boa sorte e força para superar tanta injustiça e safadeza.

    ResponderExcluir
  18. Quem puder, caia fora, eu tenho 13 anos na pm e estou aguardando nomeaçao para realizar meu maior sonho que é pedir baixa dessa instituiçao .. que para mim sou me fez um ser humano pior e revoltado.. estou me livrando do cárcere. quem puder saiba que existe vida melhor fora¹¹¹

    ResponderExcluir
  19. desvalorização na segurança publica:
    veja este fragmento retirado do fascículo 5- dos bárbaros a 1817, publicado pela tribuna do norte sobre Hístoria do Rio Grande do Norte, disponível em: http://tribunadonorte.com.br/especial/histrn/capa_histrn.htm

    Alguns reforços foram enviados para a capitania, como o terço dos paulistas e, posteriormente, Domingos Jorge Velho. Não conseguiram terminar a guerra, apesar de seus esforços. É que a solução para o conflito dependia muito mais de visão administrativa, habilidades e espírito de justiça do que força e armas. O que mantinha a guerra era, sem dúvida, a ambição e a crueldade de determinados colonos que almejavam a todo preço as terras que pertenciam aos nativos... Mesmo que, para isso, fosse preciso exterminar os verdadeiros donos das terras! Mas os portugueses e seus descendentes necessitavam da proteção dos soldados para atingir tais objetivos... Acontece que, por falta de recursos, os soldados não estavam sendo pagos. Passando fome, desertavam. E mais, como disse Cascudo, as tropas "estavam obstruídas pela displicência, indiferença, descaso, ignorância, os pecados dos desinteresse que a distância multiplica".

    Este texto da historia potiguar narra fatos que ocorrerão à mais de 400 anos, muito coisa mudou passado este tempo, mas parece que a realidade vivia pelos guerreiros de hoje é a mesma, só muda forma e os meios...

    ResponderExcluir