SUBCOMANDANTE DO BPCHOQUE É EXONERADO APÓS REVOLTA DO BUSÃO

MAJOR MARINHO
O subcomandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, Major Antonio Marinho da Silva, foi exonerado do cargo pelo Comando Geral da PM no estado nesta sexta-feira (24). O oficial foi o responsável por comandar o policiamento durante o primeiro protesto relacionado ao aumento na tarifa de ônibus, em vigor desde o dia 18 de maio. O motivo para a exoneração, no entanto, não estaria ligado à manifestação.

Major Marinho esteve à frente do policiamento que visou impedir a ocupação de manifestantes na BR-101, no dia 15 de maio. Através das redes sociais, manifestantes criticaram a forma como ocorreu o policiamento e chegaram a citar a forma como o major Marinho conduziu as ações do BPChoque.

O Comandante Geral da PM/RN, coronel Francisco Araújo, falou que não se trata de uma exoneração, mas sim de uma movimentação administrativa. "Foi um procedimento que acontece normalmente com os subcomandantes", disse.

Major Marinho foi transferido para para o 1º Batalhão, nas Rocas, zona Leste de Natal. A reportagem da TRIBUNA DO NORTE tentou diversas vezes falar com o major, mas o celular do oficial estava desligado.
TRIBUNA DO NORTE

8 comentários:

  1. Se a exoneração do Major tiver ocorrido por conta de críticas à ação durante a manifestação, o estado, bem como o comando da PM, fez o mesmo que assinar sua sentença de "morte"... na minha opinião, isso é um sinal de fraqueza... esse tipo de acontecimento fragiliza, cada vez mais, o poder das forças públicas, o poder da polícia, que tem o dever de manter a ordem... eu poderia ficar calado, mas tem como não....

    ResponderExcluir
  2. Não tenho duvidas que a exoneração do Major se deu por conta da ação durante a manifestação estudantil contra o aumento da passagem de ônibus. realmente a Policia Militar na minha opinião esta mais que fragilizada esta falida. A autonomia da Policia militar esbarra em políticos, lideres de conselhos comunitário, e de qualquer pessoa que tenha conhecimento, basta uma simples repercussão, ou critica que é o suficiente pra causar uma exoneração de um determinado posto, O Sr. Comandante Geral tenta ser coerente em enfatizar que não passa apenas de uma movimentação do comando, mas na verdade todos sabem que não foi este o motivo. Ele (CMD GERAL) deveria dar apoio a uma ação legitima por parte do Major pessoa ao qual conheço e é muito profissional e ético em suas atribuições. Hoje temos no COMANDO um homem político, pessoa ao qual muito admirei. Pra se ter uma POLICIA forte e que atenda a os anseios da sociedade com muito mais eficiência é preciso a desmilitarização, passar a ser uma policia única e nacional e com autonomia como na POLICIA FEDERAL que não sofre tanto quanto as demais policias estaduais com politicagem.

    ResponderExcluir
  3. Isso é uma vergonha,meu DEUS, nossa policia acaba de mostrar mais uma vez o quanto esta fraca!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi exoneração.Foi transferência.

      Excluir
    2. MeU amigo sgt ildebran foi sim exoneração,maquiado com o nome de tranferência! Lindomar CPRP

      Excluir
  4. Se o Major não tem mando as VTRs do CHOQUE da o apoio aos companheiros da ROCAM que estavam PEDINDO PRIORIDADE APOIO, uma hora dessas nõs estariamos lendo uma mantéria de um companheiro tombado em ocorrencia.
    PARABÉNS MAJOR MARINHO, o Senhor não só agil como um Excelente policial mais pricipalmente como HOMEM.
    Deus lhe dara graça para passa por essa prova.

    ResponderExcluir
  5. Ai é caba Homem! Quem o critica não vai pra lá quando fazem bagunça na Br e nas ruas de Natal!

    ResponderExcluir
  6. O Major Marinho foi exonerado do BPchoque igual ao Capitão Nascimento do BOPE de "tropa de Elite 2 ",qualquer comparação com a ficção é mera coincidência.

    ResponderExcluir