MESMO COM OPERAÇÃO, POLÍCIA DO RN AINDA TEM 7 MIL MANDADOS EM ABERTO


Cerca de sete mil mandados de prisão ainda estão em aberto em todo o Rio Grande do Norte. A informação foi repassada pelo titular da Delegacia Especializada de Capturas (Decap), Ben-Hur Cirino de Medeiros, durante coletiva de imprensa concedida na tarde desta quinta-feira (9) na Delegacia Geral da Polícia Civil (Degepol) para apresentação do balanço parcial da operação PC27, que cumpre mandados no estado. Até as 17h, a Polícia Civil registrou 118 prisões e 13 apreensões de adolescentes. A ação continua até meia noite.

Apesar do volume de prisões ter superado a expectativa do secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Aldair da Rocha, que vinha trabalhando com uma estimativa de 30 a 40 detenções, nem todos os suspeitos com mandados em aberto foram localizados. "Muitos não foram encontrados", destacou o diretor de Polícia Civil da Grande Natal (Dpgran), Correia Júnior, explicando que várias detenções foram efetuadas em flagrante. "Não foram suspeitos presos aleatoriamente, existia uma investigação por trás de cada prisão", acrescentou o diretor da DPGran.

O delegado de Capturas, Ben-Hur Cirino, detalhou que todos os sete mil mandados são de 2010 até agora, incluindo os renovados pela Justiça. "Os cumpridos na operação foram elegidos entre eles", afirma. O titular da Decap conta que algumas prisões previstas para ocorrerem durante a PC27 foram antecipadas, como a recente apreensão de 150 quilos de maconha na comunidade Passo da Pátria, na zona leste de Natal. "Imagine quantos crimes a gente evitou com essas prisões", ressalta o titular da Delegacia de Capturas.

Prisões em 22 municípios
Do total de prisões, 64 ocorreram na Grande Natal e 54 no interior. Só na capital potiguar foram mais de 40 presos. O delegado geral Fábio Rogério, detalha que A operação PC27 foi articulada há 20 dias em reunião entre os 27 delegados gerais do país no Rio de Janeiro. A maioria das delegacias do estado participaram da operação colocando em prática investigações e mandados de prisão a cumprir.

A operação prendeu pessoas em 22 municípios do Rio Grande do Norte, dos quais seis na Grande Natal e 16 no interior do estado. Entre os detidos estão pelo menos 20 homicidas, além de suspeitos por assaltos, estupros e tráfico de drogas, segundo o delegado geral Fábio Rogério. "Tudo isso vai proporcionar uma sensação de segurança maior à população", destaca o delegado geral.

Falta de vagas preocupa
Com o volume de prisões sendo atualizado a todo momento, o secretário de Segurança admite o risco de não haver lugar para custodiar os presos. "Está havendo um pouco de dificuldade porque previamos entre 30 e 40 prisões, mas não nos pautamos pela quantidade de vagas do sistema penitenciário", afirma Aldair da Rocha. O delegado geral Fábio Rogério reforça essa posição. "Risco existe, mas o mais importante é tirar de circulação essas pessoas más. Isso é mais difícil", acrescenta.  

Fábio Rogério explica que inicialmente os presos ficaram detidos nas próprias delegacias, no entanto estão sendo redistribuídos pelos chamados CDPs, Centros de Detenção Provisória, espalhados por todo o RN. No início da tarde desta quinta-feira (9), o coordenador do sistema penitenciário do RN, major Castelo Branco, relatou que 30 vagas foram abertas nos CDPs após um remanejamento de presos sentenciados para a Penitenciária de Alcaçuz, no município de Nísia Floresta, Grande Natal.

PC27
Segundo o delegado geral Fábio Rogério, a operação PC27 é realizada em todos os 26 estados do país mais o Distrito Federal em comemoração ao Dia da Polícia Judiciária, celebrada em 9 de maio. No Rio Grande do Norte, a ação é comandada pela Delegacia Geral da Polícia Civil (Degepol), mas não há uma centralização na hora de cumprir os mandados. "A operação só deve ser encerrada às 18h desta quinta, quando poderemos apresentar o resultado dela", disse.

O delegado geral confirmou ainda que os mandados que estão sendo cumpridos em várias cidades do estado são relativos a diversos crimes, entre eles homicídios, tráfico de drogas e assaltos.
G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário