MACAÍBA: CORONEL JOSIMAR DIZ QUE A POLÍCIA ESTÁ NA RUA, MAS SISTEMA PENITENCIÁRIO É FALHO


Para o comandante do 11º Batalhão da PM, em Macaíba, coronel Josimar de Lima, o patrulhamento está sendo feito com rigor, apesar do baixo efetivo, mas falta à Polícia Civil investigar e desvendar os casos.

O 11º BPM é responsável por quais municípios?
Além de Macaíba, somos responsáveis pelo policiamento em Vera Cruz, São Gonçalo do Amarante, Ceará-Mirim e Extremoz.

E para cobrir toda essa área, qual o efetivo disponível?
Temos, hoje, 78 policiais.

O senhor está à frente do Batalhão há pouco tempo e, nos últimos dias, a violência avançou bastante em Macaíba. Esse número de policiais é suficiente?
Para Macaíba, temos três viaturas e duas motocicletas. Digo que esse número é suficiente sim. Esses homicídios que estão acontecendo independe do número de policiais nas ruas.

Se houvesse maior patrulhamento, não inibiria ação dos assassinos?
Não. Essas mortes que foram registradas foram praticantes por pessoas que sabem o que estavam fazendo. E mais, a maioria das vítimas estava envolvida, de alguma forma, com a violência. O pessoal vem só para matar mesmo. Sabem, inclusive, os horários que as viaturas passam. Então, não tem como a polícia evitar.

Algumas pessoas foram às ruas de Macaíba protestar por causa da onda de violência e exigir uma maior presença da polícia nas ruas. Como o senhor responde ao pedido?
A população pode exigir, mas é muito complicado. Nós fazemos o patrulhamento na área comercial e de indústria da cidade. Estamos nas ruas, mas o sistema penitenciário é falho. Não podemos obrigar a prisão de ninguém.

E como é o relacionamento entre as Polícias Militar e Civil?
Há um bom entrosamento. Aliás, sempre somos convocados para ajudar em ações que envolvam outras polícias. Agora, cabe à Polícia Civil investigar e desvendar esses crimes que aconteceram.

TRIBUNA DO NORTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário