CÂMARA DE MOSSORÓ APROVA DIÁRIA OPERACIONAL MUNICIPAL PARA PMs

Na manhã da última terça-feira, 14, durante sessão da Câmara Municipal, o vereador governista Francisco Carlos (PV) apresentou projeto de lei que versa sobre o pagamento de diárias para policiais militares que, em período de folga, serão empregados em locais definidos pela prefeitura. A proposta sintetiza uma parceria entre a PMM e Governo do RN para aumentar o contingente policial nas ruas de Mossoró.

O vereador Soldado Jadson (PT do B), pediu suspensão do encaminhamento alegando que a proposta deveria ser melhor discutida, sobretudo, com a associação dos militares que representa a categoria no município. “Não podemos discutir a segurança da cidade sem consultar a base. São eles (policiais) que estão nas ruas!” Após ser avisado do que estava por acontecer o presidente da APRAM, Soldado Tony, juntamente com um grupo de militares dirigiram-se para a câmara onde, após uma rápida reunião na parte externa, ficou deliberado que não deveriam aceitar a votação do projeto às escuras.

Após a articulação do Vereador Soldado Jadson com o Soldado Tony e demais policiais foi realizada uma ampla discussão no plenário culminando com o recuo da base governista e adiamento da votação. Alguns pontos como voluntariedade e valor da diária foram os motivos das discussões. Tony defende o valor recomendado pelo MP ao Governo do Estado que é de R$ 73,00 (Setenta e Três Reais), valor baseado na tabela do subsídio.  

À tarde, dirigentes da APRAM, Soldado Jadson e demais vereadores debateram os pontos de convergência do projeto onde ficou estabelecido o caráter voluntário para o militar, a inclusão do Corpo de Bombeiros, carga horária além de uma data-base para o pagamento/recebimento. O único ponto que não avançou foi o valor da diária que ficou para nova discussão junto ao executivo municipal.

Votação
Na quarta-feira, 15, dentro do projeto Câmara Nas Escolas com sessão transcorrida na UnP, os vereadores aprovaram por unanimidade o projeto que foi votado com a retirada do valor da diária do texto. Tal questão será discutida com a prefeitura que, segundo o vereador Francisco Carlos, em 15 dias fará novo encaminhamento complementando o projeto.

Para Tony, presidente da APRAM, o projeto é interessante mas foi preciso analisá-lo e verificar as condições nele inseridas. “Os militares sabem de suas responsabilidades e estão dispostos a colaborar com a ideia, porém, é preciso respeito para com esses profissionais que sempre se doaram pela segurança da cidade. Ressalto ainda a parceria do mandato do Soldado Jadson com nossa entidade que, sem isso, não teríamos conseguido a suspensão da votação e ajustes inseridos ao projeto”, afirmou o dirigente.
APRAM

Nenhum comentário:

Postar um comentário