CORONEL DA PM SOFRE ARRASTÃO EM SUA CASA

O coronel da Polícia Militar Clayton Tércio Oliveira de Souza e sua família passaram momentos de terror na noite de sexta-feira, em sua residência, no bairro de San Vale, Zona Sul de Natal. Era por volta das 19h, quando o filho do policial militar foi abordado por um grupo de cinco homens armados (a bordo de um Celta de cor prata) na saída de casa. Após essa primeira ação, a quadrilha invadiu a residência e iniciou um arrastão. Na casa, que fica na rua Doutor José Tavares da Silva, junto com o coronel e seu filho estavam outras três pessoas, incluindo a esposa do policial militar. Segundo uma fonte exclusiva do NOVO JORNAL, “os bandidos mantiveram quatro das cinco pessoas no chão da sala” e deram choques nos reféns, com uma arma não letal. Ainda segundo as informações obtidas, “sob a mira de um revólver, a mulher do coronel seguiu com os assaltantes para mostrar os lugares onde havia objetos de valor”. A situação ficou mais grave quando os criminosos descobriram que a vítima que eles haviam escolhido tratava-se de um policial militar de alta patente. A partir daí os assaltantes começaram a torturar as vítimas. Clayton Tércio Oliveira de Souza chegou a ser ferido à faca, na cabeça. Um dado momento que chamou a atenção
das vítimas foi que todos os cinco assaltantes eram bastante jovens, não tentaram esconder seus rostos e aparentavam muito nervosismo. “Eles levaram tudo de valor que tinha dentro da casa, além do carro que foi encontrado logo depois na vila de Ponta Negra”, contou a fonte ao NOVO JORNAL. Segundo a fonte, que pediu para não ser identificada, foram levados computadores, celulares, joias e outros pertences pessoais. O veículo levado pelos bandidos foi encontrado cerca de 30 minutos depois do arrastão, na Vila de Ponta Negra, Zona Sul de Natal. Há uma informação extraoficial de que por conta da gravidade do arrastão a Polícia Militar teria acionado serviços de inteligência. Ontem pela manhã, o NOVO JORNAL tentou obter mais informações sobre o caso. O delegado da Especializada em Roubos de Veículos, Frank Albuquerque, disse que não sabia ainda do caso; mas que se havia envolvido roubo de carro deve ser notificado na segunda-feira pra continuar a investigação. De acordo com o comandante da Polícia Militar, coronel Francisco Andrade de Araújo Silva, o relatório do Ciosp não informou a ocorrência. Ele também disse que na noite de sexta-feira, quando ficou sabendo inicialmente do assalto, deslocou uma equipe do Bope, que foi ao local. Após isso – informou o coronel – que não falar com o tenente que atendeu a ocorrência. Também há a possibilidade de que o coronel Clayton Tércio tenha registrado o assalto na Delegacia de Plantão Zona Sul. Até o fechamento desta edição a polícia não tinha prendido ninguém nem dado qualquer informação acerca da recuperação dos bens roubados. Clayton Tércio Oliveira de Souza entrou para a reserva recentemente. Ele foi comandante da Academia de Polícia Militar de 2007 a 2009.
NOVO JORNAL

9 comentários:

  1. E se fosse um praça, o serviço de inteligência teria sido acionado

    ResponderExcluir
  2. E se fosse um praça, o serviço de inteligência teria sido acionado

    ResponderExcluir
  3. EU eu eu já fui assaltado na romoaldo galvão comuniquei o siosp e me endentifiquei a vtr passou 30 minutos para chegar ao local, só veio mesmo para me conhecer...

    ResponderExcluir
  4. É lamentável que isso ainda esteja acontecendo na nossa corporação, vamos se unir uns aos outros para sermos mais fortes, e enfrentar essa bandidagem que esta tomando conta do nosso Estado.

    ResponderExcluir
  5. E se fosse um praça, o serviço de inteligência teria sido acionado

    ResponderExcluir
  6. Em quanto tiver duas policias dentro da PM(Oficias e Praças),fica impossível essa união...Fora militarismo....!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Eu tive a satisfação de conhecer o Cel Clayton durante meu curso de formação em 2001, uma boa pessoa e um bom profissional, sei que existe essa distancia entre oficial e praças, más existem oficiais e Oficiais.
    Um experiência dessas leva um trauma a família quase que irreversivel, que Deus encha de graça sua família e lhe dê sabedoria a cada decisão a toma.
    Ninguem, absolutamente Ninguem é imune a essa onde de violência que se encontra alastra.
    Se o Senhor não guardar a casa em vão vigia o sentinela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tive o prazer de conhecer o Cel Clayton durante o período na APM.
      Que Deus o Abençoe e a sua família sempre....
      E um aviso a todos os militares: Cuidado porque
      ninguem estar imune a quaquer tipo de Brutalidade. Unidos somos fracas, mas juntos somos FORTES.

      Excluir