RÁDIO PATRULHA DO 1º BATALHÃO FUNCIONAVA SEM RÁDIO


Policiais militares lotados na 3º Companhia do 1º Batalhão trabalharam durante 30 dias sem um dos principais instrumentos de serviço da unidade: o rádio de comunicação. O problema, vinha causando desconforto entre todos que alí trabalham, mas foi resolvido na manhã desta quinta-feira (14), curiosamente, após uma visita da equipe de reportagem do Portal BO. A denúncia que partiu de policiais de outras companhias foi verificada e comprovada. Além de funcionar em uma estrutura precária, com banheiros quebrados, alojamento inadequado e luminárias externas queimadas, a Companhia ainda apresentava um outro problema, o de comunicação. O único rádio que é usado para estreitar o contato com o CIOSP e assim acelerar o atendimento a ocorrências, estava quebrado. Eu mantive contato com a comandante do Batalhão, a Major Teresa, e fui informado que já houve diversas solicitações para que o problema fosse resolvido anteriormente. Não somente o conserto do rádio, mas também o das viaturas que apresentam defeitos. "Desde que assumi o comando do 1º Batalhão que venho solicitando celeridade na resolução de problemas como os que foram apresentados, no entanto, estávamos aguardando somente o despacho da diretoria de apoio logístico", disse. Também conversei por telefone com o capitão Marcelo Antônio,comandante da 3º Cia do 1º Batalhão. O oficial atenciosamente me ligou e relatou que a sede da unidade será transferida brevemente para o prédio onde funcionava a corregedoria, na avenida Coronel Estevam, no bairro do Alecrim, que a base do Barro Vermelho continuará funcionando normalmente. Não questiono o esforço nem a competência dos gestores e comandantes responsáveis pelas unidades aqui mencionadas, mas sim a falta de imediatismo, de objetividade quando o problema é gritante e merecedor da atenção pública. Acredito que se caso houver uma visita periódica as companhias de todos os Batalhões espalhados pelo Estado, seriam desnecessárias denúncias que acabam mostrando o que é fato.
PORTAL BO

Um comentário:

  1. É na verdade uma piada de mal gosto!!!mas não deixa de ser um retrato de nossa realidade,cuja instituição padece de gestores que de fato se preocupem com o que é essencial e esquecem ou omitem-se no que diz respeito as melhorias de nossas condições de trabalho!!só lamento...

    ResponderExcluir