FESTEJOS DE FIM DE ANO ELEVAM PREOCUPAÇÃO NO SISTEMA CARCERÁRIO

VILMA BATISTA
PRESIDENTE DO SINDASP/RN
A época de final de ano, com festejos de Natal e Réveillon, geralmente é motivo de grande preocupação no sistema carcerário. De acordo com agentes penitenciários, nesse período, os detentos costumam articular fugas e até mesmo ordenar crimes de dentro das unidades. Para o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte, a falta de estrutura pode facilitar ainda mais a tensão nas unidades. Vilma Batista, presidente do Sindasp-RN, lembra pouco foi feito para reforçar a segurança nas penitenciárias do Rio Grande do Norte nessa época do ano. “Muito pelo contrário, o que fizeram agora foi retirar alguns policiais militares da guarda externa para reforçar a segurança no Carnatal e, provavelmente, também durante o verão. Ou seja, o que já era pouco ficou pior”, comenta. Ainda de acordo com Vilma Batista, o ano de 2012 foi marcado por grandes fugas, entre elas a maior da história, ainda no início de janeiro, quando 41 presos escaparam de Alcaçuz. “Se há fuga é porque existe deficiência, por exemplo, de profissionais para as penitenciárias e Centros de Detenção, bem como deficiência de estruturas físicas capazes de segurar os presos”, avalia.Em Alcaçuz, a quantidade de presos fugitivos em 2012 passa de 80. “Isso somente em uma unidade. Em Mossoró, recentemente, nós tivemos a fuga de mais 23 de uma única vez do Complexo Penal Mário Negócio. Ai perguntamos: o que está sendo feito para evitar que em 2013 a quantidade de fugas seja igual ou até maior que essa?”. Vilma Batista destaca que os agentes penitenciários têm feito a parte deles, mas que diante das dificuldades e sem um planejamento técnico fica difícil mudar essa realidade do sistema prisional do Rio Grande do Norte. “Para amenizar essa situação é necessário nomear as 15 vagas já existente da reserva técnica, onde o processo de nomeação está nas mãos do secretário da Casa Civil desde o dia 12 de novembro. Enquanto isso, já está sendo feito planejamentos para Copa 2014 e é preciso se pensar também fornecer estrutura física, técnica e de pessoal para o Sistema Penitenciário, temos que, desde já, fazer um calendário para um novo curso de formação. Nós estamos fazendo o impossível para o bom andamento das Unidades Prisionais, já que nem água temos para beber”, finaliza a presidente do Sindasp-RN.
SERIDÓ 190

Nenhum comentário:

Postar um comentário