DIÁRIAS OPERACIONAIS DO CARNATAL AINDA NÃO TEM DATA PARA PAGAMENTO


Há apenas dois dias do final do ano de 2012, a novela das Diárias Operacionais da Polícia Militar entra em mais um capítulo. Dessa vez, são relativas ao serviço extraordinário durante o Carnatal 2012. Segundo divulgado na imprensa local, o custo com os policiais militares para garantir a segurança do Carnatal foi de aproximadamente R$ 1 milhão. O gasto público foi criticado por alguns atribuindo ser de natureza privada o evento festivo; no entanto, o Governo do Estado custeia as diárias operacionais dos agentes de segurança pública empregados no evento desde sua criação. Apesar disso, os 1,5 mil policiais militares empregados no Carnatal diariamente ainda não receberam os proventos relativos ao serviço extraordinário. Em contato com a Assessoria de Comunicação da PMRN a mesma informou que o Comandante Geral da PM, Coronel PM Araújo, já teve audiência com o Secretário de Planejamento, mas ainda não há previsão para o pagamento. Em recente nota de recomendação à PMRN e ao Governo do Estado, o Ministério Público entende que os eventos nos quais são empregados os PM’s através de diárias devem ter seu orçamento previsto anteriormente para que o pagamento ocorra o mais rápido possível. Contudo, na prática isso não ocorre, ficando os PM’s vários meses sem receber os proventos devidos. Soma-se a isso, o fato do Carnatal ser um evento sazonal, ou seja, ocorre todos os anos e, devido a isso, seu orçamento ser previsto no mínimo com um ano de antecedência. A segurança foi garantida e elogiada por muitos foliões; as diárias operacionais, no entanto, parecem que não.
POR SD GLAUCIA, VIA PORTAL BO

2 comentários:

  1. E ninguém toma uma providência. Se fosse para punir , aparecia uma carrada de gente certinha: corregedoria, direitos humanos, OAB, ministério publico e por aí vai. É a lei do cão.

    ResponderExcluir
  2. E ninguém toma uma providência. Se fosse para punir , aparecia uma carrada de gente certinha: corregedoria, direitos humanos, OAB, ministério publico e por aí vai. É a lei do cão.

    ResponderExcluir