MORTE DE POLICIAL É FRUTO DO ABANDONO

A morte do soldado Mendes poderia ter sido evitada se o estado oferecesse tratamento aos policiais militares que sofrem com transtornos mentais, alcoolismo e uso de drogas.

Fui testemunha do sofrimento do soldado Mendes e sua família, nestes últimos três anos, o policial foi preso por deserção e respondeu vários procedimentos administrativos.

Particularmente sinto que o estado deseja excluir da corporação estes  policiais quando deveria dar atenção e oferecer tratamento.

“Ao excluir da corporação policiais doentes o estado está jogando nos braços da família uma pessoa que necessita de tratamento e sem nenhum rendimento financeiro. Isso não pode mais ocorrer.”

O interessante é que além de existir vários policiais afastados e sem tratamento, existem os que estão trabalhando normalmente. Na própria cidade de Macaíba, existia até a última semana um policial visivelmente acometido de alcoolismo dando serviço de rádio operador. Isso é um absurdo.

Ficam as perguntas:

Quantos policiais irão morrer por total abandono?
Quantas famílias irão continuar sofrendo?

MP QUER SABER COMO A PMRN TRATA O POLICIAL COM PROBLEMAS MENTAIS E DE ALCOOLISMO
No ultimo dia 19, o promotor Wendell Beetoven vai apurar os mecanismos empregados pela Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte para apoio ao policial com problemas psiquiátricos, para prevenção ao abuso do consumo de bebidas alcoólicas e ao uso de drogas ilícitas.

Através do Ministério Público, o promotor pediu a Polícia Militar para informar quais são os procedimentos adotados em relação aos policiais militares diagnosticados como portadores de transtorno mental para acompanhar o tratamento médico, buscando desta forma, saber se existe algum programa específico para a prevenção, tratamento e recuperação do alcoolismo e do uso de drogas ilícitas aos policiais militares. Bem como, se ocorre periodicamente exames toxicológicos nos policiais como forma de prevenir o uso ou abuso de tais substâncias.

Um comentário:

  1. É um verdadeiro descaso a forma como a Polícia Militar trata os seus profissionais. São muitos os PMs que apresentam problemas com o álcool e drogas, além de uma quantidade enorme de policiais que apresentam problemas psiquiátricos e por mais incrível que possa parecer, ainda continuam tirando serviço armados com uma PT.40 e atendendo a população, quando na verdade, esse profissional deveria estar afastado de suas funções e passando por acompanhamento de um especialista. Outro dia na zona norte, em uma base comunitária, pude constar a problemática que nossos policiais atravessam. Onde um policial visivelmente acometido de problemas emocionais, estava literalmente alterado em seu serviço, bastante exaltado e reclamando das condições de trabalho precárias. Não existe acompanhamento aos nossos policiais, estão abandonados e jogados ao relento. Se um policial está com problemas psiquiátricos e tomando medicação controlada, não pode jamais estar de serviço armado e atendendo a população. É um enorme risco para ele e para a sociedade.

    ResponderExcluir