POLICIAL MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE É CONSTRANGIDO E HUMILHADO POR POLICIAIS MILITARES NA PARAÍBA

Leiam a seguir o depoimento do Soldado Damião da Silva Belo, praça desde 2006 e lotado no 7º BPM em Pau dos Ferros:
“Momentos de terror pensei um dia sofrer se um dia caisse na garras de marginais aos quais de forma constitucional bons policiais os colocam na cadeia e não durante uma abordagem da polícia militar a instituição ao qual pertenço Eram 14h30, da sexta 17de agosto eu soldado da policia militar do rio grande do norte Damiao da silva belo lotado no 7º BPM de pau dos ferros me deslocava ao açude da serragem para fazer um treinamento de flutuação aquática a poucos metros do meu destino fui parado por uma viatura da policia militar, sem saber que as horas seguintes seriam de intenso terror, Estacionei o veículo e, sem reação, desci da motocicleta Três policiais da viatura do choque fortemente armados gritavam descontroladamente para que colocasse as mãos para cima para ser revistado .
De imediato me identifiquei e relatei o motivo de estar ali, mais De acordo com eles, eu era suspeito de um assalto a um posto de combustível que teria acontecido na cidade de são João do rio do peixe”. Depois de ser revistado , apalpado , jogados em cima do carro de braços para cima O policial que coordenava a “ação truculenta e violenta” da Polícia Militar de Cajazeiras alegou que eu era o assaltante mesmo eu estando sô e desarmado o roubo teria sido cometido por dois elementos armados de revolver e de pistola Quando tentava explicar que não deveria estar passando por aquilo, mais berros eram despejados em meus ouvidos.
E claro, para me intimidar, sempre com armas em punho. Quando berravam comigo podia sentir o bafo e as cuspidas de cada um dos três policiais na minha cara . Ao invés das viaturas continuarem as diligencias se deslocaram todas para onde fui abordado fiquei cercado por mais de 15 viaturas a situação ficou pior quando chegou a viatura da p2 de são João do rio do peixe a todo custo o cabo Neurion e um soldado a paisana existiam que eu era o assaltante fique cerca de três horas sendo constrangido pelas guarnições de cajazeiras uma delas comandada pelo sargento Deusimar depois de me humilharam resolveram me conduzir a são João do rio do peixe para ser reconhecido pelas vitimas do assalto fui levado direto para posto de combustível e não para a companhia como manda o procedimento legal fizeram questão de me expor a vitima de imediato quando me viu disse em alto e bom som tenho certeza absoluta que não é ele os policiais ficaram sem ação.
Como bestas despreparadas em nem um momento me ouviram expliquei a mais de 30 policiais o que estava fazendo ali naquele local disse a todos que estava ali para treinar para o teste físico da força nacional ,mais e nem um momento foi dado credibilidade a minha pessoa insistiam a todo custo que eu era o assaltante e que eu estava preso comemoravam prendemos o assaltante mesmo eu estando desarmado sozinho .Eu que faço parte da corporação militar fui vitima de abuso, constrangimento e humilhações de todas formas grosseiras a todo custo queriam que eu fosse um criminoso imagine as atrocidades e injustiças que estes policiais cometem no dia a dia.Diante do acontecido pergunto: qual é a forma de proteção que o cidadão tem nos dias de hoje se ele é objeto de humilhação de policiais que abusam de seus postos?”
SOLDADO DAMIÃO DA SILVA BELO

7 comentários:

  1. Gostaria de me expressar a minha solidariedade ao companheiro, que injustamente passou por acusações infundadas, pois só sabe o que é humilhação quem já passou por ação de agentes,que talvez só poderiam está com efeito de .....

    ResponderExcluir
  2. ei,e kd a identidade?nao falaste quem era seu comandante?.denuncie pow.va a corregedoria da pb.

    ResponderExcluir
  3. E vai ficar por isso mesmo? Procure seus Direitos companheiro, para que isso não volte a repetir com outras pessoas, e esses Profissionais aprendam a trabalhar.

    ResponderExcluir
  4. UM CASO PARECIDO ACONTECEU COM SD DO ESTADO DO PERNAMBUCO ONDE O SD FOI HUMILHADO ,E AMEAÇADO PELOS UNS PMS DO CHOQUE DE PATOS,O POLICIAL TEM SER PROFISSIONAL NÃO TRUCULENTO E DESPREPARADO COMO ESSES AI DO CHOQUE DA PB, .

    ESSES NÃO MERECE VESTIR A FARDA DE UMA ESPECIALIZADA,DESPREPARADOS TOTALMENTE MANCHA O NOME DA POLICIA.

    ResponderExcluir
  5. Fiquei muito triste e ao mesmo tempo envergonhado, ao tomar conhecimento desse fato lamentável ocorrido com o colega Silva Belo. Triste por saber da “ainda” existência de policiais militares com essa conduta profissional, e envergonhado, por ser também policial militar e ter que responder aos meus amigos “civis” quando me perguntam: “E ai? Foi correto isso?”. A resposta eu nem preciso escrever aqui, acho que até os mais ignorantes que tomaram conhecimento dessa abordagem desastrosa, sabem dizer ou ao menos pensam que ela foi equivocada e errada. Posso ate arriscar aqui em dizer que, dos Direitos Fundamentais assegurados em nossa Constituição, ao menos uma dezena foram negados ao PM RN envolvido no fato. E posso afirmar também que ao menos 5 artigos do código penal podem ser usados contra a ação descabida e “sem noção” realizada pelos PMs de Cajazeiras-PB envolvidos na ocorrência. Em 6 anos na PM RN ouvi muito dizerem que “a policia não é a dona do mundo”, e infelizmente, vou usar a mesma frase pra vcs (PMs PB envolvidos na ocorrência ) “ei! A policia não é, realmente, a dona do mundo”. Tem um curso oferecido pelo SENASP que foi muito difundido entre as policias militares; uns atribuem a esse fato, a reduzida carga horária do curso, outros pela facilidade do próprio curso (leitura e por pertencer a área de humanidades), outros por uma junção dos dois motivos já mencionados, alguns por habilitar para o recebimento da Bolsa formação (quando ainda existia), e outros (imagino ser a maioria) que por, não serem “nem burros nem nada”, fizeram porque reconheceram a importância desse curso na formação policial, o curso em questão, chama-se Filosofia dos Direitos Humanos Aplicada à Atuação Policial, mais conhecido como Direitos Humanos. Penso que os PMs envolvidos na ocorrência com o PM RN não o fizeram por nenhum dos motivos anteriormente mencionados. Ficou claro pela forma como trataram um “possível” suspeito de assalto, que, na ocasião e nas circunstancias em que foi abordado pela guarnição (como relatado pelo PM RN), já excluía qualquer suspeita sobre ele de ser o tal assaltante. No que diz respeito a deficiente e ineficiente formação policial desses PMs, claramente vista na abordagem a um possível assaltante, além do curso já mencionado recomendo também o Aspectos Jurídicos da Abordagem Policial. E por fim pergunto: como uma policia que age com truculência, preconceito, violência, falta de respeito, entre outros mais, pode dar ao cidadão cumpridor de seus deveres, sensação de segurança e tratamento cordial e gentil, se nem aos seus pares é dado?

    ResponderExcluir
  6. Não imagino o que vc passou,nem quero nunca passar.Acredito que tudo tenha que ser averiguado,mas da forma certa.E ainda mais por vc ter se identificado como praça,no mínimo era pra ser tratado com respeito.
    São os excessos que colocam toda a ocorrência a perder.

    ResponderExcluir
  7. Justiça para que te quero? Justiça Neles!
    Sem mais palavras.

    ResponderExcluir