INATIVOS E PENSIONISTAS DA PM COBRAM SUBSÍDIO

A notícia do não pagamento do subsídio aos inativos e pensionistas da Polícia Militar do Rio Grande do Norte na folha do mês de julho, conforme determinado pela Lei Complementar 463/2012, causou tristeza e indignação entre a categoria. Eles devem se reunir na próxima terça-feira para discutir o fato e decidir uma posição perante o Governo do Estado.

Segundo o secretário de Comunicação Social do RN, Alexandre Mulatinho, o pagamento ao grupo será feito em parcelas, nos próximos meses, pois o Governo ainda estuda formas para cumprir a norma, sancionada em janeiro passado.

No entanto, o presidente da Associação dos Policiais Militares Inativos e Pensionistas do Rio Grande do Norte (Aspipern), sargento Fernando Filgueira, afirmou que muitos já foram afetados pelo medo e pela insegurança quanto ao cumprimento dos pagamentos, principalmente no interior do Estado, onde está a maioria dos associados. Alguns, com problemas de saúde, precisaram receber atendimento médico.

“Desde a divulgação da notícia, ontem, que recebo ligações de associados de todos os cantos do Estado, desde Mossoró até Pau dos Ferros, nervosos e querendo saber se isso é verdade. Estão todos temerosos com um possível não pagamento do subsídio para a categoria, que já sofreu muito lutando para garantir a segurança pública da nossa população e que hoje merece descanso e reconhecimento. O subsídio é um direito nosso, porque trabalhamos e lutamos muito para isso”, disse.

Filgueira disse que confia na palavra dada pela governadora Rosalba Ciarlini, em maio de 2010, quando a então pré-candidata ao Governo do Estado se comprometeu em aprovar a lei que estabeleceria a remuneração através de subsídio, em parcela única, a todos os policiais militares potiguares, de ativos a inativos e pensionistas.

“Na época, Rosalba se mostrou muito sensível ao que havíamos exposto e à nossa história de luta até chegarmos aqui e conquistarmos um benefício que é o reconhecimento da importância da corporação e de todos que a compõem. E é a esse espírito demonstrado por ela que confiamos e esperamos uma solução para este caso. Eu tenho certeza que a governadora vai cumprir tudo o que está na lei, espero e confio que ela cumpra sua palavra”, afirmou Filgueira.

Ele também falou que a categoria, confiante, soube esperar o tempo solicitado pela governante para o equilíbrio das contas públicas. Mas, que agora, é hora de mostrar o que está feito em prol dos inativos e pensionistas da Polícia Militar no Estado. “Na época que entramos, era tudo muito difícil, não tínhamos estrutura, viaturas, diárias operacionais, escala de trabalho, nada. Mas, nunca esmorecemos em lutar para garantir a tranquilidade da sociedade”, explicou.
FONTE: JORNAL DE HOJE

3 comentários:

  1. Pagar só os PMs da ativa é uma estrategia e ao mesmo tempo uma vergonha para este comando (Governo).

    ResponderExcluir
  2. PAGAR O SUBSÍDIO A PRESTAÇÃO????????????? ACORDAAAAAAAAAAAAAA SENHOR ALEXANDRE MULATINHO. VCS TIVERAM TODO O TEMPO DO MUNDO DESDE 2011 PARA FAZER JUNTO AO IPERN O ENQUADRAMENTO DOS NÍVEIS, SÃO APENAS 2.961 INATIVOS... E AGORA VEM COM ESSA! LEI NÃO SE DISCUTE SE CUMPRE. TEM UM MONTE DE ADVOGADOS DOIDINHOS PARA ENTRAR COM MANDADO DE SEGURANÇA CONTRA ESTA FALTA DE RESPEITO POR PARTE DESTE GOVERNO.

    ResponderExcluir
  3. Ontem, assisti uma entrevista com o Secretário de Segurança Pública. Quando a repórter perguntava sobre o pagamento dos inativos e pensionistas, ele justificava que o valor ficaria muito alto, caso pagasse a todos.

    O certo seria pagar a todos, para não causar revolta e indignação nos familiares que perderam seus esposos na defesa da sociedade e da própria instituição.

    Acredito que o Cmte. Cel. Araújo jamais poderá discriminar a categoria, promovendo essa divisão, já que é o representante legal de toda a categoria.

    Como se não bastasse, estão comentando que o pagamento será efetuado em parcelas. Gente: que falta de respeito, de humanidade e de solidariedade para com a categoria e seus familiares!

    ResponderExcluir