DESEMBARGADORA CHAMA PM DE “POLICIALZINHO” E RECLAMA DE HIERARQUIA

Uma blitz de trânsito terminou em confusão no fim da noite desta quarta-feira (11) na Avenida Paulista, em São Paulo, Segundo a Polícia Militar, uma motorista se recusou a fazer o teste do bafômetro. Ela e a mãe, que é desembargadora, teriam desacatado os policiais. Já as duas dizem que os policiais as agrediram.

A desembargadora Iara Rodrigues de Castro e a filha, a advogada Roberta Sanches de Castro voltavam de um show quando foram paradas pela PM em uma blitz da lei seca. A filha dirigia o carro. Segundo os policiais, ela teria se recusado a fazer o teste do bafômetro.

Houve uma discussão, que foi gravada com um celular por um policial. Roberta teria chamado a blitz de "palhaçada" e perguntado aos policiais se eles sabiam com quem estavam falando. Já a desembargadora afirma que a polícia foi agressiva.

Em nota, a PM disse que os policiais foram desacatados e agredidos por mãe e filha. Mãe e filha foram encaminhadas ao Instituto Médico-Legal (IML) para fazer exames de corpo de delito. A PM registrou a ocorrência como autuação de recusa de alcoolemia e desacato.

20 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "policialzinho" esse foi o termo usado pela desembargadora, para se referir a um profissional que arrisca a vida para garantir segurança à sociedade.

    ResponderExcluir
  3. desembargadorazinha onde foi que esta tal, veio a educação dela, engracado depois precisar da segurança para fazer seguarança deles.

    ResponderExcluir
  4. Interessante... usar o termo arbitrariedade, quando existe uma lei para tal finalidade, parece que elas estão precisando de uma reciclagem. Imagine uma petição daquela advogada, e mais ainda, uma decisão de uma desembargadora. Ora, um simples teste de bafômetro, agora eu me pergunto?! E se alguém tivesse batido no carro delas com sintomas de ter ingerido alcool???

    ResponderExcluir
  5. Polícia Militar... sempre vista como o tapete para os outroa pisarem... essa Desembargadora usar da palavra para citar a hierarquia??!! Qual o dever de hierarquia que os policiais que ali estavam deviam a ela? Respeito sim, obediência hierárquica não!!

    ResponderExcluir
  6. Esse é o retrato da sociedade democrática: um poder judiciario responsável por cobrar a correta aplicação da LEI, mas que, quando esta do outro lado da "mesa", se sente no direito de reclamar da correta aplicação da LEI. Sem contar que temos um legislativo que é campeão em denuncias de corrupção e um executivo que só maqueia a administração pública. É, se o "Montesquieu" fosse vivo, certamente, estaria envergonhado e decepcionado com tudo isso.

    ResponderExcluir
  7. Infelismente merecemos este tipo de tratamento. Somos desunidos dentro e fora de nossa coorporação e, para acabar de completar o triste quadro, ainda existe um grande percentual de analfabetos funcionais dentro de nossa instituição, que aprenderam a ler e escrever mas, se quer, interpretam o que lêm ou escrevem, os quais, direta ou indiretamente, denigrem a imagem de nossa instituição policial militar. Minha menságem é: Bebo, sou raparigueiro, amante dos prazeres que a vida nos oferece, porém, sempre que posso, procuro me aperfeiçoar e me qualificar no diz respeito à conhecimento pois, é a única coisa que não podem te tirar.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. o triste desta historia, e q o policial no seu estrito comprimento do deve,comprindo apenas com a lei e quem podo fica preso.

    ResponderExcluir
  11. MEUS CAROS AMIGOS, EM 12 ANOS DE PM SÓ VI UMA CLASSE DE GENTE DAR VALOR A PM: SÃO OS BANDIDOS POBRES. POIS A SOCIEDADE E A CHAMADA ELITE SÓ NOS MENOSPREZAM. O BANDIDO ELE TEME, JAMAIS FAZ COMETE ASSALTO SABENDO QUE TEM POLICIA NA ÁREA, OU SEJA DE FATO NOS VALORIZA, NOS TEMEM. MAS ESSA SOCIEDADE E ESSA ELITE BRASILEIRA DEFINITIVAMENTE NÃO MERECEM NOSSOS ESFORÇOS.

    ResponderExcluir
  12. Rapaz... eu fico triste com alguns PMs que ainda lambem as botas deste povo. E não é só desembargador não. É deputado, vereador e etc... é triste.

    ResponderExcluir
  13. A lei so vale pros outros, em se tratando deles se acham imunes ! Pior que isto é uma realidade que deve ser mudada, mas como ? Creio que uma mudança so funciona se for radical ! A coisa esta ficando tão critica que se aparecer um ditador estilo hitler todo vão o seguir !

    ResponderExcluir
  14. Pois é, a mulher sequer conseguia falar na entrevista.

    ResponderExcluir
  15. Rapaz para esse povo que se acha acima da lei quando eles se identificarem como desembargador, juiz, procurador de confusão e outros intocáveis, toma se a posição de sentido presta a continência e deseja a eles um bom dia, lembrem -se que temos uma família em casa que depende de nós por se entrarmos em briga dessa vamos entrar só sem o apoio de ninguém se for em frente chamem a imprensa,e esteja preparado para o pior até morrer ou matar se for o caso então pensem antes na família não vale apenas ir de encontros com esses vermes. lembramos que são todos te

    ResponderExcluir
  16. Rapaz para esse povo que se acha acima da lei quando eles se identificarem como desembargador, juiz, procurador de confusão e outros intocáveis, toma se a posição de sentido presta a continência e deseja a eles um bom dia, lembrem -se que temos uma família em casa que depende de nós por se entrarmos em briga dessa vamos entrar só sem o apoio de ninguém se for em frente chamem a imprensa,e esteja preparado para o pior até morrer ou matar se for o caso então pensem antes na família não vale apenas ir de encontros com esses vermes. lembramos que são todos te

    ResponderExcluir
  17. Isso acontece porque alguns policiais a determinadas coisas tipo: servir cafezinho em gabinetes de oficiais, abrir portas e bajular desembargadores, fazer segurânça e serviços para políticos. Quem trabalha no serviço fim da PM com certeza já se deparou com senhoras como essas que na verdade não passam de um esbôço daquilo que temos em nossas classes sociais, em que o cidadão trabalhador não é valorizado pelo trabalho que desempenha, mas pelo quanto dispõe na sua conta bancária.
    O que posso dizer a esses senhores que se acham os donos das pessoas é que tomem cuidado,quem teabalha nas ruas são os loucos e com louco não se brinca. Como dizia minha avó: "Depois que a pôrrada foi dada, pode vir o aborrecimento que vier, mas a dor ninguém tira"!!!

    ResponderExcluir
  18. ATÉ QUANDO?
    BRASIL
    DOIS COMENTAROS MEUS:
    SE FOSSE NO JAPÃO, AS DUAS IRIAM EM CANA. (MARAVILHOSO)

    SE FOSSE UMA BLITS DE BANDIDOS, ELAS IRIAM LEVAR CHUMBO NA CARA!

    PAI PERDOAI-AS ELAS NÃO SABEM O QUE FALAM.

    ResponderExcluir
  19. PIOR QUE É DESSE JEITO ,ELES PENSAM PORQUE É ADVOGADOS DESENBARGADORES FILHOS DE JUIZES OU ATÉ AMIGO DE VEREADOR FULANO DE TAL ACHA QUE TEM O DEREITO DE DESACATAR NÓS POLICIAIS ,PIOR QUE QUEM VAI SE DAR MAL NESSA OCORRENCIA VAI SER OS PRAÇAS , SEMPRE FOI ASSIM QUANDO SE TRATA DESSA GENTINHA DESEBARGADORAZINHA SO QUEM PERDE SOMOS NÓS POLICIAIS, PRIMEIRO A FUDER AGENTE SÁO OS COMANDANTES DE BATALHÃO QUE TEM MEDO DE PERDER SUA PROMOÇÃO AUTOMATICA ,VOÇÊS VÃO VER O FINAL DESSA NOVELA .

    ResponderExcluir
  20. A desembargadora e a filha pensam que são deusas, aliás mostraram isso quando acham que o policial precisa reconhecer um desembargador em trajes normais e fora do ambiente do trabalho. Não aceitam fazer um simples teste de bafômetro.Isso sim é uma arbitrariedade e o pior: desacatam aqueles que executam a lei que são policiais que arriscam suas vidas, afinal todos não são iguais perante a lei?. E se a nobre desembargadora fosse punida o que aconteceria? Aposentadoria compulsória que é a pena mais severa que essa gente pode receber. Vergonha.

    ResponderExcluir