MIGUEL JOSINO DIZ QUE É SIMPÁTICO À CAUSA DOS 824 CONVOCADOS DA PM

“Eu, pessoalmente, sou muito simpático à causa, sim. Estou familiarizado, conheço o assunto e quero ajudar”, disse-me. Porém, o procurador lembrou que é importante não agir com emoção, com ímpeto neste momento. É preciso respeitar a situação e o que diz a justiça. “Nós precisamos sem paixões, sem açodamentos, de forma muito tranquila, precisamos colocar todas essas cartas na mesa, para que não haja ma interpretação”.

Quanto à decisão desta semana, da juíza Ana Cláudia Secundo Luz e Lemos, o procurador não vai recorrer ao mérito da questão, porque há algo mais importante que isso. Ele disse que vai dar conhecimento à juíza de que há uma decisão anterior, de um outro juiz, que entra em confronto com a dela. Miguel Josino se refere à decisão do juiz Cícero Martins de Macedo Filho, que disse que o concurso em questão está extinto desde janeiro de 2011. O Ministério Público inclusive já recorreu, pedindo que o prazo seja ainda retroagido, ou seja, que o concurso tenha se extinguido ainda antes, em setembro de 2010.

Para o procurador geral do Estado o que complica é essa primeira decisão, a que estingue o concurso. Por isso ele disse que já procurou Manoel Onofre Filho, procurador geral de Justiça, para tentar um acordo, uma solução jurídica para dar prosseguimento ao concurso para os 824 homens. “Isso mostra que nem a procuradoria, nem a governadora somos contra eles. Pelo contrário. São 824 pais e mães de familia, e a gente está com vaga. Além disso teríamos que fazer outro concurso e teríamos outro gasto. Mas é preciso encontrar uma solução”

JACKSON DAMASCENO

Nenhum comentário:

Postar um comentário