CRIMES PRESCREVEM POR FALTA DE POLICIAIS CIVIS

A deputada estadual Larissa Rosado (PSB) requer ao Governo do Estado prorrogação da validade do concurso para delegado, agente e escrivão da Polícia Civil. A medida visa à convocação dos aprovados para diminuir a carência de servidores na corporação.

A insuficiência de pessoal, segundo a parlamentar, prejudica andamento e conclusão de inquéritos policiais, favorecendo a impunidade tanto pela ausência de provas quanto pela prescrição da ação penal. Daí, a importância do reforço da Polícia Civil.

Larissa acrescenta que, segundo a Lei Orgânica Estadual, cada unidade policial deveria possuir, pelo menos, um delegado, um chefe de investigação e um chefe de cartório. Na prática, no entanto, vários municípios não dispõem desses profissionais.

“Os candidatos do concurso edital 2008, homologado em dezembro de 2010, afirmam que já foram submetidos ao teste físico, ao psicoteste, faltando academia e nomeação. A prorrogação dará mais tempo para o Governo do Estado convocá-los”, justifica.

Larissa lamenta que a Polícia Civil, sem delegados, agentes e escrivães suficientes, não consegue dar resposta necessária contra a criminalidade. “Mas, a convocação dos aprovados é fundamental para começar a mudar essa realidade contra a violência”, observa.

Além de o RN não ter policiais civis, também não dispõe de delegacias e principalmente suporte de inteligência e perícia forense, de modo que devido a isto crimes deixam de ser investigados e assassinos ficam soltos, promovendo assim o crescimento da violência e o sentimento de injustiça.

Da Assessoria da deputada estadual Larissa Rosado (PSB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário