PARÁ: CORONEL DA PM NEGA FRAUDE EM ESCALA

O coronel PM José Osmar Albuquerque prestou depoimento na Justiça Militar, ontem, em Belém. O oficial é acusado de ter desviado três soldados da PM de Abaetetuba para pintar uma casa de sua propriedade na capital. Além dele, também prestaram depoimento o major PM José Ângelo dos Santos Figueiredo e o capitão Josimar Leão Queiroz que foram denunciados pelo Ministério Público do Estado acusados de terem falsificado a escala de serviço dos militares para camuflar a irregularidade cometida pelo coronel Osmar, que supostamente teria se prevalecido de seu cargo para ordenar que o documento fosse forjado. Os depoentes responsabilizaram um outro oficial pela adulteração do documento - o tenente PM Gama, que deverá ser ouvido nos próximos dias. Hoje, outras quatro testemunhas, entre elas um dos soldados, irão depor. A audiência foi presidida pelo juiz José Roberto Bezerra e acompanhada pelo promotor de Justiça Luiz Márcio Cypriano. Quatro membros do Conselho de Sentença participaram da audiência. Por enquanto, nenhum dos acusados foi afastado do serviço público.

O primeiro a depor foi o cel. Osmar. Ele iniciou as suas declarações assinalando que, em 29 anos e oito meses de serviços prestados à corporação, nunca cometeu erros que pudessem prejudicar a alguém ou a sua imagem. "Posso ter pecado por excessos, mas nunca por omissão", disse. O oficial militar justificou a ocorrência de ter três soldados da PM trabalhando na reforma de sua casa, localizada no bairro da Marambaia, na capital, como uma prática comum de soldados que costumam aumentar a renda se dedicando a outros trabalhos.

"Não vejo problemas em fazer serviços durante a folga. Tanto que tem policiais que exercem outras atividades ainda que estejam servindo à corporação", ressaltou o coronel. "Tem pedreiros e carpinteiros que entraram para a Polícia, mas que não deixaram de fazer estes trabalhos", exemplificou. De acordo com as suas declarações, todo militar é livre para fazer outras atividades laborais que não comprometam o serviço público. Por isso, esses trabalhos são feitos em dias de folga - teria sido este o caso dos soldados PMs Tatimar Miranda da Silva, Tamilton Miranda da Silva e Luiz Fernando de Lima Mendonça.

Um comentário:

  1. Bom dia, tó aguardando vocês postarem o vídeo do assalto em Ipanguaçu, entra no blog NOS-ON-LINER é mostre a população a cara dos bandidos.to aguardando.

    ResponderExcluir