NOVO SECRETÁRIO DA SEJUC SEGUE INDEFINIDO E SINDASP FAZ ALERTA

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) completa nesta terça-feira (3), dezessete dias sem a ocupação de um secretário para o cargo. Desde a saída de Fábio Holanda, no dia 17 de março, a pasta tem sido ocupada por Aldair da Rocha, responsável Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed). Ele assumiu o cargo em caráter temporário e enfatizou, desde a sua convocação, o cumprimento de medidas apenas administrativas devido à sobrecarga das funções.

Em contato da reportagem do Diário de Natal com a assessoria de imprensa do Governo do Estado, foi informado que a situação da pasta permanece inalterada. O anúncio do novo secretário, ainda sem previsão, depende das conversas da governadora Rosalba Ciarlini com os aliados políticos. Ainda não se sabe se o PR indicará o próximo secretário. A pasta ocupada até então ocupada por Fabio Holanda era conduzida pelo deputado federal João Maia (PR).

A assessoria de imprensa do Governo ainda esclareceu que enquanto o novo secretário do Estado de Justiça e Cidadania não é anunciado, o pedido de exoneração do coronel Severino Reis, coordenador do sistema penitenciário do RN, solicitado no dia 9 de março, não foi aceito pelo Governo.

Segundo o Governo, o coronel Severino Reis continua na pasta até que o futuro secretário escolha o novo comandante para o setor. No entanto, ele não tem respondido pela função, principalmente, em tentativas de contato da imprensa.

SISTEMA PENITENCIÁRIO DO RN POR UM FIO
Diante da situação no sistema penitenciário do Rio Grande do Norte, Vilma Batista, presidente do Sindasp, disse que o coronel Severino Reis está de saída e tem deixado claro aos agentes, a partir de seu pedido de exoneração. “As decisões estão paradas e, com isso, não temos planos de ação e trabalho”, definiu.

Vilma Batista lembrou apesar da situação ser totalmente desfavorável, o trabalho dos agentes nas unidades continua, no entanto, a “ausência” do coordenador trava qualquer tipo de ação de trabalho. “Como não tem quem assine vários processos, queremos que o Governo aceite discutir as reais soluções com a categoria”, desabafou a presidente do Sindasp.

Por fim, Vilma Batista ainda alertou sobre a última assembleia realizada no dia 21 de marco, onde foi discutida uma paralisação de advertência, o que foi descartada na expectativa de um posicionamento do Governo para a normalização da situação. ”A realidade é que se realizarmos uma mobilização dessa grandeza na ausência do secretário da Sejuc e do coordenador, o sistema penitenciário do RN desmoronará”.

DNONLINE

Nenhum comentário:

Postar um comentário