NATAL TEM ATÉ 30 ACIDENTES DIÁRIOS

Um acidente de trânsito acontece por hora em Natal. A estatística é da própria CPRE. A média diária vária entre 25 e 30 ocorrências.

Em dia de chuva, os acidentes dobram. O Comando já chegou a receber mais de 60 chamados por conta de colisões. No entanto, em caso de óbito, quem atua no local é a perícia do Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP).

No trânsito da Capital, a maioria das ocorrências é composta por colisões traseiras. Aquelas provocadas principalmente em sinais de trânsito. Este acidente acontece pela falta de atenção, excesso de velocidade e o desrespeito à distância em relação ao veículo da frente.

A estrutura para atender área urbana de Natal é suficiente, acredita o Coronel Francisco Canindé de Freitas. São disponibilizados, diariamente, entre 15 e 25 motos e cinco carros para patrulhar as cinco rodovias estaduais que cortam a cidade e para atender ocorrências.
“Nós temos um bom sistema de patrulhamento. Mas o trânsito está crescendo muito rápido. Todos os dias tem um engarrafamentos agora”, disse o Coronel Freitas.
No entanto, o comando conta com apenas um caminhão guincho para apreensões. Ele é utilizado quando um veículo é retido pelos policiais militares.

Hoje, com o grande número de acidentes e de apreensões em Natal, foram mais de 400 veículos retidos desde janeiro, o transporte de motos e carros pode levar horas. O meio de transporte retido é levado até o galpão do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN).

Segundo o Coronel Freitas, a polícia rodoviária estadual também conta com o apoio de outro guincho cedido pelo departamento de trânsito, mas é insuficiente. Ainda este ano, o comando aguarda um novo processo licitatório para o aluguel de novos carros.

Para ele, a única solução é o aumento da malha viária da cidade. Ele aguarda com expectativa as prometidas obras de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014.
“O trânsito está próximo de um colapso”, ponderou, lembrando que por mês são emplacados mais de dois mil veículos mensalmente em Natal.
Hoje, segundo o Detran, a frota da Capital conta com 331.598 veículos. Houve um aumento de 103% em apenas 10 anos. No início de 2001, por exemplo, o número era de 163.180 veículos.

Além da patrulha no trânsito, verificando infrações e periciando acidentes, o CPRE também atua na fiscalização do transporte intermunicipal, atuando em parceria com o Departamento de Estadual de Estradas e Rodagens (DER), para a regulação do tráfego em eventos. A atividade se faz necessária para evitar que, num jogo de futebol ou num evento religioso, não ocorram grandes pontos de engarrafamento.
“Nós somos chamados para todo o tipo de evento que necessite de organização do fluxo de carros”, lembrou.
NOVO JORNAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário