FAMÍLIA DE PEDREIRO EXECUTADO EM MACAÍBA SE DIZ AMEAÇADA

Alcione foi executado com
mais de dez tiros
A família do pedreiro Alcione Gino, de 52 anos, executado na noite da última sexta-feira (13), teme que os matadores possam voltar e completar o serviço. O desabafo preocupante foi feito pelo filho da vítima, um adolescente de 17 anos, que estava fora de casa no dia do crime. O rapaz disse que o alvo dos tiros não seria Alcione e sim o próprio adolescente. O motivo do crime: vingança.

Segundo o filho de Alcione, depois que a dupla matou seu pai o clima no local ficou tenso. A todo o momento, quando alguém ouve o barulho de motocicletas já imagina que outra ação criminosa estar por vir. “A gente aqui não tem mais paz. Todo mundo está assustado e prefere permanecer em casa desde o ocorrido”, relata.

A delegacia de Macaíba, que investigará o caso, ainda não recebeu o relatório de local de crime feito pela primeira equipe da Plantão Zona Sul. O documento deverá ser entregue nas próximas horas. O delegado Marcio Varandas contará para as investigações com uma testemunha ocular que é a própria esposa da vítima.

Alcione Gino foi morto quando voltava para a casa na comunidade de Rio da Prata, no loteamento Liberdade. O pedreiro foi surpreendido por uma dupla em uma moto que já chegou atirando e sem dar nenhuma explicação.

PORTAL BO

Nenhum comentário:

Postar um comentário