PM's RECEBEM DIÁRIAS DE DEZEMBRO E CARNAVAL, MAS OPERAÇÃO VERÃO CONTINUA EM ATRASO

Por Soldado Glaucia, via Portal BO

A novela das Diárias Operacionais tem um capítulo satisfatório para alguns Militares Estaduais. Segundo o Comandante Geral da PMRN, Coronel Araújo, as diárias restantes relativas ao mês de dezembro de 2011 e do Carnaval 2012 foram devidamente repassadas aos PM's que prestaram o serviço extraordinário.

A informação foi repassada no Blog do Comandante Geral. No entanto, as Diárias relativas à Operação Verão 2011/2012, que rendeu aos cofres públicos do Estado cerca de R$ 700 mil somente de carteiras de habilitação apreendidas por embriaguez ao volante, ainda continuam sem previsão para o repasse aos PM's. Pelos números divulgados pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado, a Polícia Militar atendeu 17 mil ocorrências e abordou 10,7 mil veículos.

Os números positivos divulgados pela SESED é reflexo do empenho dos policiais militares que abdicaram de suas folgas para prestarem um serviço extraordinário e garantir um dinheiro a mais no orçamento familiar, que ainda não foi creditado em suas respectivas contas.

Ainda em seu Blog, o Comandante Geral afirma estar "trabalhando com afinco, junto ao Governo do Estado para que, com brevidade, também sejam pagas as diárias operacionais aos militares que trabalharam durante a Operação Verão 2012".

2 comentários:

  1. negativo. as diarais de Dezembro não foram pagas, pelo menos as que eu tirei não chegaram na minha conta.

    ResponderExcluir
  2. 05/03/2012 - 20h52


    MINISTROS
    Jorge Mussi: a sociedade está perdendo a paciência com o Judiciário
    “Temos que repensar o Judiciário antes que seja tarde, porque os limites da paciência e tolerância da sociedade estão se esgotando.” O alerta foi feito pelo do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Jorge Mussi, em encontro com advogados de Santa Catarina, seu estado de origem.

    Mussi afirmou que o Judiciário brasileiro passa por um momento muito difícil e que “a sociedade reclama, com toda razão, da demora na entrega da prestação jurisdicional”. O ministro disse que atualmente tramitam no Brasil 86 milhões de processos judiciais, volume impossível para o contingente de 15 mil juízes. Por isso, ele defende a união de advogados e magistrados para estimular a mudança da cultura do litígio e buscar a conciliação.

    Apesar dessa preocupação, o encontro foi descontraído. Também esteve presente o ministro Antonio Carlos Ferreira, paulista de nascimento e catarinense “por adoção” dos colegas advogados. Os dois ministros ingressaram na magistratura pelo quinto constitucional da advocacia. Mussi relembrou bons momentos que viveu enquanto atuava no estado, onde chegou a presidir o Tribunal de Justiça.

    No grupo de 51 advogados, estavam presidentes e membros das Comissões de Jovens Advogados das subseções da OAB de Santa Catarina, acompanhados de seu presidente, Paulo Roberto de Borba, e do vice-presidente, Márcio Vitare. Eles vieram conhecer o funcionamento das cortes superiores. Foram recebidos pelo ministro Marco Buzzi, também catarinense, que mostrou o funcionamento do gabinete.

    Para os advogados em início de carreira, a visita ao Tribunal da Cidadania foi surpreendente. “Fiquei muito surpreso com a segurança, o funcionamento dos órgãos julgadores, toda a estrutura criada para julgamento dos processos que iniciam lá na comarca de uma cidadezinha. É surpreendente essa megaestrutura que encontramos aqui”, declarou Alberto Gonçalves, do município de São José.

    Para Adriano Tavares, de Florianópolis, a visita faz com que o advogado de locais distantes da capital federal compreenda porque o processo demora. “É feita uma pesquisa, a digitalização dos processos e tem ainda a própria dimensão de um tribunal que atende o país inteiro”, observou.

    O grupo permanece em Brasília até esta terça-feira (6), quando visitará o Tribunal Superior do Trabalho e o Supremo Tribunal Federal.

    Fotos:

    Ministros Jorge Mussi (centro) e Antonio Carlos Ferreira (direita) recebem advogados de Santa Catarina

    Presidentes das Comissões de Jovens Advogados da OAB/SC surpreendem-se com o Tribunal da Cidadania




    Coordenadoria de Editoria e Imprensa

    ResponderExcluir