RIO DE JANEIRO: PM USA PRESSÃO MILITAR, AMEAÇA EXCLUSÃO SUMÁRIA, E TROPA VAI ÀS RUAS

Usando o regulamento militar, o comando geral da PM do Rio endureceu o tratamento com os grevistas e aumentou a pressão sobre a tropa, ameaçando expulsão sumária da corporação em 15 dias, impedindo licenças médicas e conseguiu reduzir em grande parte a força do movimento na capital. A rápida reação do Alto Comando conseguiu quebrar consideravelmente a resistência da tropa.

No boletim interno desta sexta-feira, o comando determinou que todos os policiais que aderirem à greve serão presos administrativamente e automaticamente submetidos ao Conselho de Disciplina, órgão que avalia punições disciplinares para os praças (de soldados a subtenentes) para infrações graves. A punição pode chegar à exclusão.

Nessa linha, um decreto do governador Sérgio Cabral publicado nesta sexta-feira em edição extraordinária diminuiu de 30 para 15 dias a conclusão dos trabalhos e reduz prazos de recursos e julgamentos de PMs e bombeiros em Conselhos de Disciplina.

os discursos de Ordem do Dia dos comandantes de unidades com os policiais aquartelados, o tom é de ameaça e pressão e os oficiais afirmam que os insubordinados estarão sujeitos à exclusão sumária da corporação. O argumento principal é o de que a greve de militares é considerada ilegal pela Constituição Federal.

Sob ameaça, muitos PMs começaram a ir para as ruas patrulhar, mesmo em unidades onde no início do dia havia aquartelamento considerável, caso do 23º BPM (Leblon). “Estou a dois anos de ir para casa (para a reserva remunerada), não posso arriscar tudo por esse movimento”, justificou ao iG um sargento de uma unidade da zona sul.

Oficiais se recusaram a aceitar qualquer pedido de licença médica e chegaram a rasgar ostensivamente papeletas de pedido do gênero. Assim, PMs não podem alegar problemas de saúde para evitar trabalhar.

Os praças relataram se sentir sem ter o que fazer, devido ao medo de perder o emprego, sem direito a indenização. Com boa parte dos policiais temerosos de represálias drásticas indo para a rua, os grevistas de serviço vão ficando isolados nos quartéis.

O militarismo, sob o qual a PM está subordinado, tem como pilares a hierarquia e a disciplina. Os integrantes da corporação estão sujeitos a sanções disciplinares por violações ao regulamento administrativo. Recusar-se a cumprir ordens, como a de fazer patrulhamento ostensivo, pode render punições.

Esses instrumentos de pressão, previstos no regulamento militar, estão sendo usados de forma a pressionar a tropa a voltar a atuar normalmente.

IG

7 comentários:

  1. Cadê os soldados/doutures das PMs,e agora Doutor, vão fazer greve.

    ResponderExcluir
  2. sd italo/4ºBPM.Essa historia de "servidores especiais"é o jeito sacana de dizer que nosso direito,é não ter direito,e o nosso dever é lembrar do nosso direito!democracia é coisa pra civil.pra quem usa farda,a ditadura é passado,presente e futuro...infelizmente!

    ResponderExcluir
  3. O cerco está se fechando, e cada vez mais ficará difícil lutarmos por melhorias, os tribunais estão contra nós, e para piorar, não sei se alguém ficou sabendo, mas na calada da noite de ontem, foi aprovada(por eles próprios) uma ajuda de custos para os senhores deputados federais de quase 100%. ABSURDO!!! Além de tudo, essa tal rede Globo, fica pressionando para enfraquecer os movimentos!

    ResponderExcluir
  4. vão as ruas sem motivação alguma! que negoção. a falsa sensação de segurança. se alguém souber me responda quem é o policial que vai as ruas arriscando sua vida insatisfeito, tendo que lembrar que no dia seguinte terá um bico para garantir o sustento digno de sua família. no mínimo ele vai as ruas sabendo que não poderá se desgastar e sim descansar.

    ResponderExcluir
  5. assim fica mito difícil, só quem pode lutar por melhores salários as outras categorias, e agente a onde fica, vcs do governo deveriam da um aumento de vergonha aos bravos policiais, sempre vamos viver nas migalhas ?? , essa é a perguntar, ate quando vamos viver sendo HUMILHADOS ???

    ResponderExcluir
  6. Meus amados irmãos em cristo e irmãos de farda, hoje vemos um grande exercito se levantar contra nós, com armas poderosas que aos nossos olhos sãos impossíveis de serem vencidas, más o Deus todo poderoso sempre foi e sempre será um Deus de JUSTIÇA, e que a sua JUSTIÇA se faça presente no meio de nós, policias militares, que poem em risco o que Deus lhe deu de mais precioso, A VIDA, dobremos os nossos joelhos e clamemos a um Deus que tudo pode para quebrar esses corações endurecidos dos nossos governantes.
    DEUS É FIEL E A SUA MISERICÓRDIA DURA PARA SEMPRE.

    ResponderExcluir