JUSTIÇA BAHIANA DECRETA FECHAMENTO DA ASPRA

A Polícia Civil lacrou nesta sexta-feira (3), por ordem da Justiça, a sede da Associação dos Policiais, Bombeiros e dos seus Familiares do Estado Bahia (Aspra), entidade de classe pela qual estão filiados os policiais aderentes à greve da corporação na Bahia.

O oficial de Justiça não encontrou resistência, porque o local estava vazio. A Aspra situada na Rua da Forca, bairro da Piedade, em Salvador. A determinação judicial foi autorizada pela juíza Janete Fadul de Oliveira, após pedido feito pelo Ministério Público, e impede a realização de assembleias e reuniões no local.

Dirigentes da Aspra e policiais estão há quatro dias acampados na sede da Assembleia Legislativa, localizada no Centro Administrativo da Bahia, no bairro de Sussuarana. A entidade reinvindica o cumprimento do pagamento da Gratificação por Atividade de Polícia (GAP) IV e V, que iriam compor a remuneração dos policiais, chamada de soldo, além de regulamentação do pagamento de auxílio acidente, periculosidade e insalubridade.

O comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro, diz que a corporação não reconhece a Aspra como entidade de classe e que há a rotina de reuniões semanais para tratar exclusivamente da inserção dos benefícios garantidos pendentes na remuneração dos servidores. "Estamos desde novembro [de 2011] fazendo um canal entre as associações que representam legitimamente os nossos integrantes com discussões que nos levam a um diálogo com o governo. Estamos bem avançados. Não reconhecemos a Aspra como representante legal da classe e, por terror, ele promove esse momento na comunidade baiana", avalia.

GLOBO

Um comentário:

  1. 1964... 2012 A DITADURA voltou com força total em cima de simples trabalhadores!!!

    Os mesmos mecanismos de repressão estão de volta!!!

    ResponderExcluir