O RETRATO DA ATIVIDADE POLICIAL CONTADO POR UM PM MORTO EM SERVIÇO

por Soldado Glaucia

Há coisas na vida que são inexplicáveis, coisas como o ocorrido com a família de um policial militar do Estado do Mato Grosso morto durante a atividade policial.

O Soldado Alex Oliveira Suzarte foi morto após uma perseguição a dois assaltantes na madrugada do último sábado (21). No entanto, meses antes o Soldado havia escrito uma carta relatando a rotina da profissão policial-militar. Alex entregou a carta para sua esposa que, com a morte do cônjuge, leu-a durante seu velório emocionando amigos e familiares presentes.

A carta tem som de despedida, mas o policial revela, ao final, declarou que "como todos os policiais (...) só desejam voltar para casa vivo".

Vale a pena ler a carta do Soldado Alex Oliveira, policial matogrossense morto em serviço, para refletirmos sobre uma atividade pouco reconhecida, mas de risco extremo e quase inevitável.
"Enquanto todos dormem, eu estou em lugares inimagináveis, matagais intransponíveis, bueiros fétidos, casas abandonadas, entre outros lugares a que alguém normal se recusaria ir;
Enquanto todos dormem, eu estou em alerta máximo, tentando não apenas defender pessoas que nunca vi, nem mesmo conheço, mas também tentando sobreviver;
Enquanto todos dormem no aconchego de suas casas debaixo dos cobertores, eu estou nas ruas debaixo da forte chuva, com frio e cansado madrugada adentro;
Enquanto todos dormem, eu estou travestido de herói e mesmo não tendo superpoderes estou pronto para enfrentar o perigo, para desafiar a morte e, ‘quiçá, sobreviver’;
Enquanto todos dormem, eu estou dividido entre o medo da morte e a árdua missão de fazer segurança pública;
Enquanto todos dormem, eu sonho acordado com um futuro melhor, com o devido respeito, com um justo salário, com dias de paz, mas principalmente com o momento de voltar para casa e de olhar minha esposa e meus filhos e dizer-lhes que foi difícil sobreviver a noite anterior, que foi cansativo e até frustrante, mas que estou de volta e que tenho por eles o maior amor do mundo.
Esse texto eu dedico a todos os policiais que, como eu, só desejam voltar para casa vivos." 
Alex Oliveira Suzarte
PORTAL BO

3 comentários:

  1. Uma realidade espero que um dia OS POLÍTICOS reconheçam o valor dessa profissão, eles só pensam neles a última agora é deixar um pm nos cdps e levar o outro para alcaçuz, ou seja destampando um buraco para cobrir outro como alcaçuz é externo estão querendo repassar a sensação de segurança sei não qdo começar os resgates nos cdps por certo vão fazer soldado de barro...

    ResponderExcluir
  2. Ainda vão dizer que o pracinha facilitou a fuga nos CDPs como o engenheiro do novo pavilhão de alcaçuz cantou a idéia. " Impossível o preso abrir a cela por dentro alguém abriu". Acaba.

    ResponderExcluir