JORNADA DE TRABALHO

No inicio do ano a Associação de Praças – ASPRA – ingressou com um processo no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) que pedia o estabelecimento de uma carga horária máxima de 40 horas semanais para os policiais e bombeiros militares.

O caso começou a ser julgado no dia 15 de junho e terminou no final de julho após dois pedidos de vista e uma suspensão. Garantindo aos militares do estado o direito às 40 horas semanais de jornada de trabalho.

A decisão só não está valendo devido o governo do estado ter recorrido ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) em Brasília. Sendo assim, estamos aguardando mais uma decisão da justiça.

2 comentários:

  1. ESSE SERVIÇO DE VINTE E QUATROS HORAS É REALMENTE SACRIFICANTE,CANSATIVO,ESTRESSANTE. É UMA VIDA DE ESCRAVO NÃO ESTOU AGUENTANDO MAS PASSAR VINTE E QUATROS HORAS NA RUA TENDO QUE RESOLVER PROBLEMAS DESSES VAGABUNDOS,CACHACEIROS, DESORDEIROS E MARGINAIS, REALMENTE ESSA VIDA É UMA VIDA DE ESCRAVO, VOU ACABAR FAZENDO UMA MERDA NO SERVIÇO, ESTOU CANSADO.

    ResponderExcluir
  2. aqui no 4ºBPM passamos uns dois meses na 12/48 e 12/48,e estávamos muito motivados pela escala,e que fazia um pouco de justiça com quem tá na rua,mas só na gloriosa,temos que trabalhar a mais,pra ter o direito de gozar férias,e voltamos pra anti-social 12/24 e 12/48,e o que me faz refletir que não tiramos férias e sim,acumulo de horas extras,banco de horas ou outra nomeclatura(aberto á sugestões)...

    ResponderExcluir