SUSPEITO DE MATAR POLICIAL MILITAR NO JARDIM LOLA SE APRESENTA

O jovem apontado pela Polícia Militar como sendo o responsável pela morte do soldado Antônio Carlos Ramalho resolveu se apresentar na Delegacia da Polícia Civil em São Gonçalo do Amarante. Na manhã desta sexta-feira, o adolescente de 17 anos foi até a unidade acompanhado da mãe e de um advogado.

Por ser menor de idade, o nome do acusado não foi revelado, embora a própria Polícia Militar tenha divulgado a fotografia dele como procurado. O jovem é conhecido pelo apelido de Pilo-Pilo e desde a semana em que o soldado Ramalho foi morto vinha sendo caçado por várias equipes da PM.


Em uma dessas operações de busca, por exemplo, policiais militares chegaram a fechar as dependências do maior shopping de Natal, o Midway Mall, na última quarta-feira (16). Na ocasião, eles haviam recebido a informação de que Pilo-Pilo estaria no interior do estabelecimento. Várias pessoas passaram por revista ao sair do shopping.

Segundo informações repassadas pela polícia, diante da pressão e da caça policial, os familiares do adolescente acharam melhor antecipar qualquer tipo de operação para prender o rapaz, temendo, inclusive, que ele pudesse ser morto. Por esse motivo, a mãe de Pilo-Pilo o convenceu a se apresentar.

Os dois foram até a delegacia acompanhados de um advogado e procuram o titular da unidade, o delegado Adson Képler Maia. Por volta das 10h, Pilo-Pilo chegou na unidade policial e foi levado direto para a sala do delegado, onde passou cerca de uma hora sendo ouvido.

Sem querer conversar com a imprensa, o delegado apenas informou que o jovem acusado de homicídio será levado para o Centro Educacional (Ceduc) do Pitimbu. Ele não quis comentar sobre a investigação e a possível participação de Pilo-Pilo na morte do soldado Ramalho. Adson Képler disse que o adolescente é apenas suspeito e será investigado a partir de agora.

A morte de Antônio Carlos Ramalho gerou muita revolta entre os familiares e os amigos de farda. O policial de 25 anos foi morto na noite do dia cinco deste mês, no Jardim Lola. O soldado era lotado no 4º Batalhão da Polícia Militar, que, inclusive, ficou responsável por realizar buscas pelos suspeitos do assassinato.

Algumas pessoas haviam sido detidas ao longo das últimas duas semanas, suspeitas de envolvimento com Pilo-Pilo. Um desses é Regivan Melo da Costa, de 25 anos, preso na terça-feira (15), nas Rocas, acusado de ter dado ajudado o adolescente a se esconder, após a morte do policial. Com Regivan, os policiais apreenderam uma pistola e descobriram que ele tinha um mandado de prisão em aberto.

PORTAL BO

Nenhum comentário:

Postar um comentário