SONHO DE PM QUE REJEITOU R$ 1 MILHÃO É COMPRAR SUA CASA PRÓPRIA

Cabo André Souza foi exemplo na tropa esta semana também ao tentar salvar a vida do cinegrafista Gelson Domingos, assassinado em Antares, carregando-o nos braços.

Rio - É numa casa simples, de dois quartos, no subúrbio, que mora um dos PMs do grupo que recusou a propina de R$ 1 milhão oferecida em troca da liberdade do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha. Dinheiro que o cabo André Souza, de 39 anos, do Batalhão de Choque, só conseguiria juntar se trabalhasse 44 anos seguidos, sem gastar um centavo do salário — estimado em cerca de R$ 1.900 mensais. E que daria para comprar a casa própria que ele tanto sonha.

Mas a proposta ‘indecente’ não corrompeu o juramento que o policial fez ao vestir pela primeira vez a farda, há 9 anos. “Me deu muita raiva. Estavam nos comparando aos policiais que foram presos horas antes, dando cobertura na fuga de traficantes. Mas ofereceram dinheiro aos caras errados, não é isso que vai pagar a nossa dignidade”, desabafou o cabo, que não tem carro e vai trabalhar de carona ou trem.

Da mesma corporação em que os ‘arregos’ são um problema a ser enfrentado, Souza difere por um pensamento em que a lógica é simples: “Penso no que é correto. A gente é tão mal visto pela sociedade por culpa de uns poucos, que não vou compactuar com isso”.

Órfão de mãe desde os 6 anos, Souza falava ainda criança que seria PM. Sonho que começou a se tornar realidade na portaria de prédio da Zona Sul, onde o então porteiro dividia as horas de trabalho com os estudos para o concurso. Ele tem um filho de 15 anos.

Acostumado com o pouco ‘glamour’ da profissão, Souza só entendeu a dimensão de prender o traficante mais importante do Rio ao chegar no quartel, na manhã desta sexta-feira. Recebido aos gritos de ‘parabéns’ e pela euforia da equipe, o militar, que no último fim de semana ajudou a socorrer o cinegrafista Gelson Domingos — morto por traficantes na favela de Antares —, diz que a maior recompensa é o reconhecimento da família e dos amigos. “Minha mulher ligou e disse que tem orgulho de mim, que sou o herói dela. Isso vale muito mais que R$ 1 milhão”.

8 comentários:

  1. só prederam o traficante pq o nome dele é, NEN se fosse ENEN teria vazado kkkkkkkkkkkkk.

    ResponderExcluir
  2. choqueano é choqueano em qualquer lugar, honra o camuflado e a corporação ,disciplina e honra lema do choqueano. CHOQUEEEEEE.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns companheiro,independente da cor da farda,eis merecedor de honra,pois só não existe bons policiais no choque mais em toda instituição assim como bandidos tambem.Que DEUS te guarde e te abênçoe tu e tua casa.Lindomar 5°BPM com muito orgulho do cinza,rp sempre no coração.

    ResponderExcluir
  4. Coitado de vc warrior, tu és um alienado do estado capitalista. Disciplina, 'o coitado', Aposto que é um dos covardes em uma possível mobilização em prol dos policiais militares. Tire as vendas q os oficiais puseram em seus olhos e mente.

    ResponderExcluir
  5. O camuflado urbano foi honrado em todo o Brasil com à atitude do bpchoque-rj.

    ResponderExcluir
  6. Quem tem princípios os faz valer onde estiver e seja onde for e não pelo fato de estar usando uma farda rosa, um preto ou um camuflado! -Isso parece comentário de recruta alienado, espero ter sido claro!

    ResponderExcluir
  7. Quantas e quantas propostas indecentes são dispensadas todos os dias. Essa proposta talvez nem tivesse existido, a mídia aumenta e inventa muitas coisas. Não precisa ser fanático para ignorar propina, basta ter dignidade. Talvez o PM que recusou a dita proposta de 1 milhão pro resto da vida se pergunte: E se eu tivesse aceitado? Poderia ter melhorado muito a minha vida! O ESTADO NÃO VALORIZA O POLICIAL MESMO!

    ResponderExcluir
  8. Esse PM vai passar o resto da vida a se perguntar - Pq não aceitei!? Isso transformaria a minha vida! Mas talvez a imprensa tivesse aumentado a quantia para tornar a matéria espetacular. Todos os dias PMs recusam propostas de dinheiro e a imprensa nem toma conhecimento; não foi pq foi um Chqer, pois isso foi tão somente dignidade do parceiro, a certeza que teve de que era mais justo a prisão do que a promessa do dinheiro.

    ResponderExcluir