ESTUDANTES PROTESTAM CONTRA A PRESENÇA DA PM NO CAMPUS DA USP

Estudantes da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP) fizeram novo protesto nesta segunda-feira (31), pedindo a saída do reitor da instituição, João Grandino Rodas, bem como a revogação de um convênio assinado com a Polícia Militar para intensificar as rondas na Cidade Universitária, na Zona Oeste da capital. Eles chegaram a fechar uma rua ao lado da universidade.

Os protestos começaram na quinta-feira (27), quando três alunos foram flagrados pela PM com maconha. Colegas de faculdade tentaram impedir que eles fossem levados para a delegacia, onde, posteriormente, assinaram termo circunstanciado por porte da droga.


Quando finalmente os alunos eram levados, centenas de estudantes cercaram os carros das polícias Civil e Militar e tentaram impedir sua saída. Houve bate-boca e o confronto começou quando um cavalete foi jogado sobre os PMs. Enquanto a polícia usava cassetetes e bombas de gás lacrimogêneo, os manifestantes jogavam pedras. Seis veículos policiais foram depredados. Os alunos, então, invadiram o edifício da administração da FFLCH. Na tarde desta terça-feira (1º), está prevista nova assembleia dos estudantes para decidir se continuam ou não com o movimento.

A assessoria de imprensa da USP diz que o reitor João Grandino Rodas não tem competência para ordenar a retirada da Polícia Militar da Cidade Universitária. Segundo a assessoria, a decisão de firmar um convênio com a PM para aumentar o policiamento no campus foi tomada pelo Conselho Gestor da USP, presidido pelo diretor de uma das unidades e composto por representantes de todas as unidades presentes no espaço, além de representantes de professores, funcionários e estudantes.

Ainda de acordo com a assessoria, a reitoria não decidiu a estratégia para lidar com a ocupação do edifício pelos estudantes. Mas a decisão de pedir ou não na Justiça a reintegração de posse do prédio administrativo da FFLCH compete à diretora da unidade, Sandra Margarida Nitrini.

Em maio, integrantes do conselho pediram a nova medida como reação à morte do estudante Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, ocorrida na noite de 18 de maio. O jovem foi baleado quando se aproximava de seu carro em um estacionamento da Faculdade de Economia e Administração (FEA). Dois homens presos pelo crime foram indiciados por latrocínio.

A decisão do conselho foi aprovada por ampla maioria, com apenas um voto contra, o do representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE).

G1

14 comentários:

  1. A grande maioria que estavam alí, tbm devem ser um monte de maconheiros..

    ResponderExcluir
  2. a policia militar ela perdeu o repeito a muito tempo em nosso paìs,enquanto existir politicos mandando numca ela vai ter o devido respeito,é triste mais é a pura verdade.Fica um bando de drogados que se dizem estudantes que imfelizmente um dia vai ter o poder nas mãos.isso é o futuro do BRASIL.

    ResponderExcluir
  3. "O CORRETO É ERRADO"

    Vivemos em um país onde o interesse de poucos se sobrepõe ao de toda a coletividade...

    ResponderExcluir
  4. ESSA MATÉRIA É A CARA DO FILME TROPA DE ELITE...ONDE OS ESTUDANTES MACONHEIROS VÃO PRA UNIVERSIDADE FUMAR A MALDITA MACONHA...

    ResponderExcluir
  5. A Universidade se transformou em Área liberada para as drogas, por este motivo estes universitários, que amanhã estarão conduzindo este País, fazem a polícia de otários em um fictício combate às drogas, que nunca se sustenta no Judiciário, servindo apenas para a aristocracia limpar das ruas os desagradáveis, sujos e drogados, drogados limpinhos e intelectuais pode.

    ResponderExcluir
  6. é pra prender esses maconheiros mesmo!
    meter o grampo pra cima! Por causa deles q existe o trafico de drogas, são eles que financiam.

    ta certo a PM.

    ResponderExcluir
  7. BOM SERIA QUE Á POLICIA DEIXA-SE ESSES MACONHEIROS,DA USP SE ACABAREM ENTRE ELES,E TRABALHAR AONDE REALMENTE Á POLICIA FAZ MAIOR NESSESCIDADE,ISSO NA USP AINDA VAI DAR MERDA,E AÍ SÓ VAI SOBRAR PARA O PRACINHA Q TIVER DE SERVIÇO,COMO SEMPRE...

    ResponderExcluir
  8. olha só onde estão as pessoas que serão o futuro do pais o que devemos esperar de um país que seus estudantes enfrentam a policia pra defender outros dois estudantes que foram detidos por uso de DROGAs (maconha). depois vem um usuário armado de um revolver calibre 38 cheio de munição tenta realizar um assalto para adquirir dinheiro para comprar a tal droga e por circunstancia atira e mata a vitima . ai vem os amiguinhos maconheiros vistir branco e fazer passeata pela paz. QUE PAIS E ESSE SOCIEDADE HIPÓCRITA. na sabe esses estudantinhos que a policia estar ali pra coibir roubos e furtos realizados por viciados que buscam ali oportunidades pra adquirir bens aleio. cmt da pm paulista retiri seus homens da parte interna da usp e deixe esse povo viver sem policia pois como dis a frase "policia para quem precisa de policia" BOA SORTE AOS COLEGAS PAULISTA.

    ResponderExcluir
  9. são bandidos traficantes e maria vai com as outras
    a seis meses atrás eles estavam pedindo policiamento(ELES QUEREM É BADERNAR)

    ResponderExcluir
  10. meus amigos 70% dos estudante universitarios usam drogas, agora isso não é só em são paulo não, é em todo BRASIL (procura se informar no campus da ufrn em natal pra voces veem). cambada de maconheiro sem vergonha. vou te dizer uma coisa nosso país ta bem arrumado com umas porcarias dessas no futuro do país. lixo vocês são uns lixos essa é que é a verdade.

    ResponderExcluir
  11. tem maconheiros em todos os lugares, mais defender maconheiros só maconheiros,

    ResponderExcluir
  12. maconheiros e drogados tem em todos os lugeres, mais só quem defende maconheiros, são os proprios maconheiros.

    ResponderExcluir
  13. POR UM PAÍS MELHOR
    Estamos diante dos motivos pelos quais nosso país está mergulhado no crime e na corrupção. Como podemos sonhar com uma nação melhor e mais justa para as futuras gerações; se a nossa esperança maior, à educação; se vê sucumbida com ilícitos. Esse episódio ocorrido na USP; faz-nos refletir e imaginar se: o sonho de viver em um país honesto é realmente possível? Em nossos ideais de nação justa e igual a todos, sempre nos vem à educação como solução para enfrentar os altos índices de violência, corrupção e outras mazelas que assola a população do nosso Brasil e é frustrante, perceber, que o Estado está investindo em pessoas que serão em um futuro próximo; profissionais espalhados em todos os cantos desse país, exercendo funções em diversas especialidades e, tendo como currículo, a formação em uma das melhores universidades do Brasil; assim como, à tendência ao desrespeito e a apologia ao crime. Tenho essa visão crítica negativa dessa situação; não por ser policial militar e sim, porque sou pai de família e quero um país melhor para meus filhos e netos.

    ResponderExcluir
  14. Os maconheiros estão ocobertados por leis utópicas!!!!!Os condominios de luxo de Brasil a fora são quem sustentam as bocas de fumo nos bairros dos pobres.A tv quem manipula as notícias não debatem as soluções e ações concretas para acabar com as drogas nos âmbidos de quem compra e vende.BRASIL DAQUI A POUCO TEMPO ESTARÁ UM CAOS!

    ResponderExcluir