PARTICIPE!

5 comentários:

  1. caros companheiros policias militares vamos todos nos fazer presente, pois é um dia bastante importante em nossas vidas, diga não ao seu salario miseravel, diga não ao bico miseravel que vc faz, para complentar sua renda familiar, diga sim para uma melhor qualidade de vida para vc e toda sua familia que depende de vc, não fique apenas criticando ou colocando culpa nas Associações A ou B, dormindo, conversando besteiras ou assistindo tudo de camarote, vamos todos juntos unidos nos fazer presente, vamos levar a serio e acordar para realidade, pois não podemos mais aceitar um policial civil ganhar 4 vezes mais que um PM, até um guarda-municipal que trabalha 1 dia e folga 5 dias, ganha mais que um PM, portanto, vamos acordar e lutar todos juntos, participem!!!!

    ResponderExcluir
  2. policias Militares vamos todos nos fazer presente na assembleia, por um salário mais digno já!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Vamos todos participar da Assembleia, pois se vc não participa de melhorias salarias para vc, quem vai participar? não vamos ser diferentes de todas as outras categorias, pois as vitorias e conquistas só conseguem quem luta, portanto leve a sério e vamos acordar, participem!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu já sei a resposta do governo "nova reunião dia 24-10-2011"...kkkkkkkkkkkkkkkk é rir pra não chorar... uéuéué...

    ResponderExcluir
  5. em Brasilia, policiais civis estão de braços cruzados mais uma vez
    Os policiais civis mais bem pagos do Brasil estão de braços cruzados novamente. Até as 8h da próxima quinta-feira, apenas crimes hediondos, como estupros e assassinatos, serão registrados nas 31 delegacias do Distrito Federal. As 13 unidades especializadas permanecem de portas fechadas durante as 72 horas de paralisação. A categoria iniciou a greve com prazo determinado na manhã de ontem para reivindicar o não cumprimento de um acordo firmado com o Governo do Distrito Federal (GDF) em abril último. O Executivo local, por sua vez, alega que depende do governo federal para cumprir as exigências.

    Durante todo o dia de ontem, policiais civis permaneceram em frente ao Departamento de Polícia Especializada (DPE), ao lado do Parque da Cidade. Nas delegacias, algumas pessoas foram pegas de surpresa. Wanderson Rodrigues da Silva, 23 anos, que trabalha como auxiliar de rampa no Aeroporto Juscelino Kubitschek, foi pela manhã à 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Centro), mas não conseguiu registrar uma ocorrência de extravio do crachá funcional. "Enquanto não tiver isso, não posso trabalhar. Para piorar, vão descontar dinheiro do meu salário e do meu vale-alimentação", lamentou.

    Sem saber da paralisação, Wanderson perdeu tempo indo à delegacia. "Acho essa paralisação ruim, pois a gente sai prejudicado. Agora, vou ter que tentar registrar essa ocorrência pela internet. Espero que eu consiga", disse. Entre os pedidos dos policiais, estão o reajuste salarial de 13%, a reestruturação da carreira e o aumento no efetivo. Em abril deste ano, após 16 dias de greve dos policiais, o GDF aceitou as exigências e assinou um acordo, mas a categoria garante que nenhuma das cláusulas foi cumprida até agora. "Por enquanto, nada proposto foi cumprido. A categoria só vai recuar se houver um acordo", garante o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF), Ciro José de Freitas.

    Segundo o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Sandro Avelar, o cumprimento das propostas firmadas em abril não depende apenas do Executivo local. "O documento já foi encaminhado ao Ministério do Planejamento, mas alguns acordos, como o reajuste salarial, por exemplo, precisam da aprovação do governo federal. Na parte que envolve o GDF, nós estamos atendendo a categoria na medida do possível", disse Avelar.

    Disparidade
    Um policial civil do DF em começo de carreira ganha mensalmente R$ 7,5 mil, em média. O valor, mais alto do Brasil, é seis vezes maior do que o salário de um agente de Santa Cataria — R$ 1,3 mil. No estado vizinho, em Goiás, o mesmo profissional recebe R$ 2,7 mil por mês. De acordo com o Sinpol-DF, o quadro atual da Polícia Civil do Distrito Federal é de 5,2 mil servidores. O que significa que existe um policial civil para cada 494 habitantes. O sindicato garante que a quantidade é insuficiente. "Esse efetivo é o mesmo desde 1993. Precisaríamos dobrar esse número, ainda mais com a Copas das Confederações do Mundo", afirma Ciro de Freitas. O sindicato informou que a paralisação também serve para protestar contra uma decisão da Justiça que determina o retorno dos agentes penitenciários cedidos às delegacias. "São 240 agentes que vão sair das seções de investigações para retornar aos presídios", ressalta Ciro de Freitas.

    Fonte: Correio Braziliense

    ResponderExcluir