"NOSSA META É INCLUIR MIL PMS POR ANO ATÉ 2014"

Coronel Araújo
Um ano e meio após ter sido reconduzido ao Comando da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, o coronel PM Francisco Canindé Araújo faz uma avaliação da situação da segurança pública no Estado, sinaliza para os investimentos na corporação visando a Copa de 2014 e toca em assuntos polêmicos como expulsão de companheiros de farda e a possibilidade de existirem grupos de extermínio formados por policiais militares.

Araújo admite que o setor da segurança atravessa um momento difícil, devido às limitações financeiras do Governo, mas declara que a criatividade se constitui numa maneira eficaz de burlar os percalços. Os investimentos na qualificação profissional é mencionada por ele como importante caminho para a prestação de um serviço eficaz e eficiente.

Sobre a possibilidade de haver relação entre os atentados contra ônibus ocorridos na sexta-feira (16) e células de facções criminosas agindo no RN, o comandante da PM é enfático ao afirmar que as ações incendiárias foram protagonizadas por delinquentes e não participantes do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Como o senhor avalia a segurança pública no Estado?

Hoje temos uma grande vantagem, a integração do sistema de segurança pública. O atual secretario de Segurança Pública [Aldair da Rocha] é profissional de carreira da PF, foi PM em SP e isso ajuda muito porque ele tem um bom relacionamento tanto na PC, na PM, e com o sistema federal (PF e PRF), ele conhece todas essas instituições. Isso está facilitando as ações e o livre trânsito dele na área Federal em Brasília, até para fazer gestão de recursos.


Como o senhor analisa o policiamento ostensivo, de rua, em Natal e interior do Estado?

Em Natal e Região Metropolitana temos um maior efetivo de policiais distribuídos nos bairros e cidades da região metropolitana. No interior, em alguma cidades, nós temos um efetivo reduzido até pela redistribuição desse efetivo. Mas hoje, por exemplo, Natal e Região Metropolitana - pela quantidade de demanda de serviço que recebemos - atendemos a situação. No interior do Estado onde há deficiência, quando há sinalização do aumento da criminalidade, a gente faz operações, manda o pessoal com diárias operacionais, como aconteceu em Mossoró que nós reforçamos a atividade em Mossoró.

Qual seria a necessidade da Polícia Militar pra suprir essa demanda reprimida de efetivo?

Hoje, temos previsto em lei 13.466 PMs e temos nove mil, seiscentos e poucos policiais.

Coronel, esse deficit de quase 4 mil, como é resolvido?

São cerca de 3 mil. Nós resolvemos com incremento diária operacional. Chamamos os policiais que estão de folga ou os que estão a disposição de órgãos públicos e pagamos a diária operacional, forma de suprir a demanda de serviço com o efetivo que temos.

Isso não acaba gerando um maior custo e desgaste para esse policial?

Para o policial é uma atividade a mais, é um desgaste a mais. Mas, desde que assumimos o comando da corporação, adotamos uma escala de serviço mais humana de trabalho. Por exemplo, os policiais trabalhavam 24 horas de serviço numa viatura, muitas viaturas batiam, era um problema. Hoje o policial de viatura trabalha apenas 12 horas, o que ainda é cansativo, dirigir, ter todos os cuidados. Mas mudamos a escala para quem é e viatura 12 por 24 ou 12 por 48, é uma escala mais humanizada. E quanto ao custo, é um custo temporário para aquela atividade. É claro que vem trabalhar nessas atividades extras já tem saído de serviço, está de folga e vem trabalhar. Mas ainda é melhor do que o policial está de folga e passar a noite toda fazendo um bico. A diária é uma forma do Estado trazer o policial de folga, remunerar e ele está com toda a cobertura do Estado (fardado, equipado). É diferente quando ele está de folga e acontece alguma coisa com ele, o Estado dá total apoio.

Há previsão para chamar os concursados?

Esses que foram concursados e ainda não foram chamados , por decisão judicial, perderam o direito. Eles só poderão se houver outra decisão que mude a situação. Nós estamos pleiteando o concurso para 120 cadetes para fazer o curso de formação de oficiais. Esses que serão os tenentes trabalhando no policiamento ostensivo na Copa do Mundo. E no próximo ano, estaremos pleiteando a inclusão de soldados de ambos os sexos. Inclusive, nossa meta é incluir mil por ano para quando chegarmos em 2014 termos completado o efetivo da PM.

Falando em Copa do Mundo, como está o trabalho de qualificação dos policiais?

Atualmente, temos uma parte do efetivo que foi treinado e experimentado nos Jogos Panamericamos, no RJ. Mandando uma equipe nossa e todos eles passaram pela instrução de nivelamento da Força Nacional de Segurança Pública. São em média 600 profissionais. Temos também cursos regulares na instituição como ocorre com 400 sargentos que fazem curso de aperfeiçoamento. São 55 capitães e 55 majores e tenentes-coronéis fazendo curso superior de polícia. Existe, também, programação e planejamento junto a Secretaria Nacional de Segurança Pública em cursos ligados a requalificação profissional, idiomas, técnicas policiais.

Se falou nesses dias sobre bicos na Polícia Militar. Tem como combater bicos nos policiais militares?

O ser humano sempre ganha um salário, mas sempre quer ganhar um pouco a mais para dar o melhor condições de vida para ele e família. Independente do quantos seja, ele vai querer sempre algo melhor. Quando está de folga, busca trabalhar em outro local. Pela nossa lei, o Estatuto da Pm, diz que ele tem que estar em tempo integral, mas não exclusivo. Então, enquanto ele está em atividade, é integral. E hoje se ele fizer algo lícito, não use a instituição ou equipamento da instituição, ele vai tentar melhorar a situação da família dele, assim como aquele que vai dar aula, uma assessoria ou consultoria.

O senhor falava em trabalho lícito. Nunca se falou tanto em tantas expulsões a policiais militares. São quantos e quais os motivos?.

Eu não diria tantos. Nós expulsamos 53. Eu acho que o que houve foi o seguinte: começamos a receber as denuncias e apurar de imediato, o tempo-resposta do que foi denunciado e o tempo de apresentar o resultado das respostas. muitas vezes havia uma suposição ou notícia crime e se cruzava os braços. Recebemos denúncia: bota no papel, ouve as pessoas, apura com direito a ampla defesa e do contraditório. Não justificou, botamos pra fora, ou punimos, porque tem detenção, prisão ou licenciamento. Então, nesse lapso temporal de um ano e pouco, nós tiramos o cargo público de 53 e já tem outros que a gente vai colocar pra fora e isso sem ser algo pessoal. Daqueles que nós colocamos pra fora, nenhum deles retornou porque nós fizemos o devido processo legal.

E esse rigor serve tanto para o Praça como Oficial?

Já instauramos conselhos para punir Praças, Oficiais e já tivemos inquéritos e investigações, onde ambos foram presos. Temos um caso em que um oficial foi preso em Macau e responde ao conselho, tivemos em Assu e João Câmara. E instauramos conselhos em que o oficiais foram punidos com sanções de natureza grave.

Como o senhor vê o trabalho da co-irmã, da Polícia Civil?

No tocante a PM, nossa atividade é preservação da ordem pública e contamos com a Civil que é judiciária e de investigação. Hoje, com todas as dificuldades, estamos nas ruas prendendo traficante e deliquentes e também fazendo "o dever de casa" dos policiais que têm desvio de conduta, que nós não toleramos. A Civil cabe a gestão e parte da polícia Judiciária.

Na sua opinião,o "dever de casa" tá sendo bem feito pela polícia civil?

Na minha parte, da PM, estamos fazendo o dever de casa tanto no cuidado com o público interno quanto no esforço de colocar o máximo de policiais nas ruas para aumentar a sensação segurança, dentro de nossas limitações de efetivo e equipamentos.

O senhor admite tráfico de influência na PM?

Não admitimos tráfico de influência, quando alguém queira mudar ou influenciar determinada coisa. Eu costumo dizer a alguns policiais, quando quiserem alguma coisa, peça ao seu comandante porque, fora, algumas pessoas se aproveitam. Então, tentamos inibir, reduzir esse tipo de coisa. Muitas vezes há pessoas que querem mandar, mas sempre de forma politizada, educada, coerente, mostramos que não é viável.

O episódio sobre a investigação no MP acerca da promoção do senhor e outros oficiais seria ilegal ou irregular. Já é algo superado?

Certamente, inclusive, a Justiça já se pronunciou sobre esse fato.

No episódio dos ataques aos ônibus, ventilou-se que o PCC estaria em Natal. O senhor acredita nisso ou e só especulação?

O que se falou sobre o PCC e se pichou o ônibus em Parnamirim como sendo o PCC não passou de atos de vandalismo. Claro que pessoas dentro dos presídios ligaram para pessoas que estavam fora e coordenaram esse tipo de coisa. Mas, não é modus operandi de facção criminosa como PCC ateando fogo em veículos. E o mais importante foi a pronta resposta imediata - quando aconteceu a primeira tentativa de incendiar ônibus em Parnamirim -, estávamos juntos eu, o secretário de segurança, o comandante dos Bombeiros, secretário de Justiça e Cidadania, saímos juntos (chamamos os superintendentes das polícias Federal, Rodoviária Federal e delegada Sheila Freitas e delegado Ben-hur Cirino) e fomos para o GGI e lá traçamos uma estratégia. Ouvimos o pessoal da Inteligência e após análise, achamos conveniente pedirmos ao Juiz Federal a transferência de 16 pessoas. O juiz foi solicito, entendeu a necessidade e determinou. Na mesma noite determinamos o Bope e BPChoque para entrar no presídio e levar para o Presídio Federal em Mossoró. A ação foi desencadeada de imediato e surtiu efeito porque sustou a ação desses delinqüentes.

Como o senhor vê o trabalho do Judiciário, uma vez que não basta prender. É preciso que o Estado dê uma resposta mediante prisão?

Na verdade, não é o Judiciário. Ele é eficaz e eficiente. A questão é que as leis são muito brandas. E os juízes cumprem a lei. E há falhas nela.

TRIBUNA DO NORTE

21 comentários:

  1. "Na verdade, não é o Judiciário. Ele é eficaz e eficiente. A questão é que as leis são muito brandas. E os juízes cumprem a lei. E há falhas nela". (sic)

    Então, neste caso, seria bom que a sociedade se mobilizasse cobrando dos políticos mudanças na legislação. Só assim, talvez diminuísse a presssão e a cobrança para a Polícia Militar, que aos olhos de alguém, parece que a culpada ou responsável por todo tipo de mazela que assola a sociedade, o que, claro e evidente, não é verdade.
    A justiça de qualquer país para ser eficiente e eficaz tem que ser acima de tudo ágil, imparcial e sem interferência ou ingerência, por parte de quem quer que seja.

    Como já dizia um dos grandes juristas brasileiro:

    "A justiça atrasada não é justiça, senão injustiça qualificada e manifesta".
    Rui Barbosa - Jurista brasileiro

    ResponderExcluir
  2. Se esse secretario de segurança conhece tando a realidade da PM pq ele efetivamente não melhora a defasagem da PMRN????? Já estamos no nosso limite... não há mais o que esperar nobre CMTE ARAUJO.....NA PM FALTA TUDO VALE REFEIÇÃO,APARELHAMENTO,TREINAMENTO, VTRS ESTÃO ESPERANDO O QUÊ???? ESSA QUESTAO DE LRF NÃO COLA MAIS, vcs já notaram na PMRN TUDO É JUSTIFICATIVA PRA NÃO HAVER AUMENTO

    ResponderExcluir
  3. Nao adianta colocar mil por anos se a evasao esta aumentando cada vez mais, devido a falta de condições o policial esta procurando sua melhora fora da policia.

    ResponderExcluir
  4. SÓ MIL CORONEL ?

    kkkkkkkkkkkkkkkkk

    é piada

    segundo onu PRECISAR PELO MESMO 03 (TRES) MIL

    ResponderExcluir
  5. muito pertinente o último comentário do colega a evasão da pm é enorme anualmente, são no mínimo 02 pms por dia pedindo licenciamento, se tomarmos por média mais ou menos são 730 pms por ano que saem dessa prisão sem grades, fé em Deus nesses dias serei eu..., as coisas não mudam ganhamos muito pouco e somos o tapa buracos da segurança pública e vem aí a nova greve da civel e tome pm tapa buraco nas delegacias...

    ResponderExcluir
  6. ESSA EVASÃO OCORRE PQ A MILITAR RECEBE SALARIOS VERGONHOSOS!!!!!! A MESMA COISA OCORRE NO EXERCITO!!!!! ENQUANTO NÃO FOR CORRIGIDO ISSO ENTRAM 1.000 SAEM 500 E SE ESCONDEM 800... ESSA É A REALIDADE

    ResponderExcluir
  7. Nossa Situação vai de mal a pior! Vendo essas informações vemos que a importância dada à quantidade substitui, e em muito, a importância que deveria ser dada a melhor capacitação e desenvolvimento do EFETIVO já existente na PM/RN. Fico triste pois apesar de tantos problemas enfrentados pela nossa Instituição, o Estado "dá as costas" para os que hoje fazem compõem a PM, não temos apoio de "ninguém"! Não temos perspectiva de conseguir qualquer que seja a melhoria, não temos direito de escolha dentro da instituição PM, na verdade, para o Estado somos os primeiros ROBÔS da história! Eles mandam e nós obedecemos! Eles dizem que está certo e apenas abaixamos nossas cabeças! Eles MENTEM e PROCESSAMOS os DADOS como VERDADE! Cheguei a conclusão de que “o COMPUTADOR” tem mais CONSCIÊNCIA do que “os PMs”, tendo em vista, ele ter sido inventado bem depois da “nossa CORPORAÇÃO”! E o SALÁRIO,...

    ResponderExcluir
  8. O que adianta entrar MIL policiais militares por ano, até chegar 2014 ano da copa do mundo? primeiro, que a seleção para a escolha desses homens, será a mais falha possível, pois está bem claro que a preocupação do governo é apenas com a QUANTIDADE e não com a qualidade das pessoas que deveriam ingressar na PM. Outro problema é a evasão de PMs para outros setores que muitas vezes nada tem a ver com segurança pública. Outra coisa : Será uma verdadeira porcaria esse concurso público para soldados visando o mundial de futebol de 2014, que nada vai acrescentar para a melhoria da nossa instituição pois trata-se de um evento de curtíssima duração, e natal apenas é uma SUB SEDE da copa e isso pouco vai trazer algum beneficio para a Tropa pois aqui serão realizados 4 ou 5 jogos no máximo. O ideal seria um concurso público de alto nível, exigência de curso superior para soldado, provas com grau de dificuldade equivalente a um vestibular,processo de investigação social muito rigorosa, salários dignos, pelo menos equiparados com a Policia civil, regulamentação da carga horária na PMRN, além de uma infinidade de melhorias, aí sim, poderia haver algum progresso.Só entrar policiais,para depois que se formarem, ficarem se "escondendo" não adianta de nada, além do processo de seleção atual permitir que ingresse na corporação pessoas que não tem compromisso nenhum com o serviço policial.Se entrar 1000 policiais, se esconde pelo menos uns 500, e os outros ficam em locais de pouca utilidade.

    ResponderExcluir
  9. INFELIZMENTE O NOSSO COMANDANTE NÃO PODE FALAR A REALIDADE. FUGIU VARIAS VEZES DO ASSUNTO SOBRE A PC.

    ResponderExcluir
  10. ESTRUTURA É MAIS IMPORTANTE QUE EFETIVO. SERÁ QUE AINDA NÃO PERCEBERAM ISSO?

    ResponderExcluir
  11. muita gente fala das turmas que entraram do concurso de 2006, tentando denegrir a capacidade dos novos soldados. mas eu afirmo que nunca entraram tantos pms qualificados intelectualmente na corporação, a maioria tem curso superior ou cursos tecnicos. agora oq dizer dos antigões que se escondem do serviço enquanto os recrutas "assumem o serviço". os antigões gostam dos recrutas mas os mais novos antes da turma de 2006 são irados conosco pq eles entraram na pm cedo, ficaram gastando dinheiro com cachaça, não estudaram e agora vem joga o arrependimento deles em cima dos recrutas. e eu não vou nem falar como era os concursos da pm, era um caderninho de respostas feito pela propria pm.

    vamos ser mais unidos gente. somos todos PMS.

    ResponderExcluir
  12. NÃO TEM INGERÊNCIA POLITICA? E NO QUE DIZ RESPEITO A RETIRADA DO CORONEL SATAN DE ASSU, POR UM SIMPLES TELEFONE DE UM DEPUTADO FEDERAL.

    ResponderExcluir
  13. Não PRECISAMOS MAIS DE EFETIVO, temos gente demais, O CMT GERAL TEM QUE TER MAIS AUTONOMIA E retirar os Policiais Militares: DOS PRESÍDIOS, DOS FÓRUNS, DOS CEDUS´s, DAS PREFEITURAS, DOS "GaBINETES DOS POLÍICOS" etc, etc, etc E COLOCAR NA ATIVIDADE FIM DA PM, que é o cerne da nossa corporação. PRONTO !!!!!!!

    ResponderExcluir
  14. É verdade que o nível intelectual dos jovens que ingressam na Policia militar de 2001 até hoje, melhorou muito e isso é bom para a tropa. Mas é preciso entender também que muitos "antigões" que ingressaram nas fileiras da gloriosa, 15, 20 anos atrás, não são pessoas sem inteligência como pensam esses recrutas possuidores de curso superior. É claro que 15, 20, 25 anos atrás, as coisas eram bem mais fáceis que hoje em dia, mas não quer dizer que só porque alguém tenha um curso superior,essa pessoa seja possuidora de conhecimentos e assim sendo seria um excelente policial. Muitos ingressam na PM apenas pela questão da estabilidade, de ter um rendimento fixo garantido, até porque muitos não tem nenhuma afinidade com a vida policial, portanto quando se formam, não são bons profissionais.Outro detalhe: PM quer dizer, POLICIA MILITAR, e não PREFEITURA MUNICIPAL como muitos acham que seja. Embora um jovem que esteja entrando hoje na PM, seja formado ele deve entender que aqui na instituição ele é soldado, portanto tem que respeitar um cabo,sargento ou oficial, independente desses não possuírem curso superior. Tem que haver o respeito tanto de graduados para soldado, como o contrário,pois todos devem ser tratados com respeito e sobretudo com humanidade. Muito importante o curso superior na PM ,mas infelizmente alguns recém formados, querem usar esse artificio para tentar justificar que possuem mais conhecimentos que policiais antigos. Tem muitos casos de sargentos que durante décadas foram "delegados" em cidades do interior do RN, desempenhando a função de forma brilhante, instaurando inquéritos policiais e dando um verdadeiro "show" de conhecimentos na área policial e sobretudo na resolução de crimes, sendo muitos elogiados por promotores e juízes.O conhecimento de um determinado assunto não só ocorre se uma pessoa estiver cursando uma faculdade,mais sim de seu interesse em adquirir tal conhecimento, até porque nos dias de hoje, ficou muito acessível o ingresso em instituições de nível superior,sendo até possível se formar, em cursos a distância devidamente reconhecidos e chancelados pelo MEC.

    ResponderExcluir
  15. Sem dúvidas em 2006 entraram ótimos profissionais! Sem dúvidas entraram muitos com nível superior (sem necessidade alguma ser mencionado tendo em vista o concurso requerer apenas nível médio, isto é uma conquista pessoal)! Sem dúvida nenhuma entraram muitos preguiçosos que mal saíram do Curso já se esconderam (como aconteceu em todos os outros cursos)! Temos que nos concentrar em melhorias para a TROPA e não ficar brigando sobre quem é mais "capacitado", pois o PM que hoje tem nível superior e ainda continua na CORPORAÇÃO é PQ não conseguiu algo melhor!

    ResponderExcluir
  16. ficar criticando companheiro de profissão pq ele arrumou um posto em orgão publico. ele ta mais é certo se tem brecha tem mais é que ir atras mesmo, ficar trabalhando na rua ,levando sol na cara sem arma e colete e nem ser reconhecido pelo governo. a culpa não é de quem vai atras, é só haver determinação superior, estamos no militarismo, ordem é ordem, se o comandante quiser ele coloca todo mundo na rua. agora criticar companheiro pq ele consegui uma melhoria pessoal é demais. eu to procurando isso pra mim tambem.

    ResponderExcluir
  17. A questão não é ter estudo melhor ou não.O problema e que os praças ateriores a 2006 não lutaram para se instruirem melhor.Não todos mais grande parte,e hoje estes tentam denegrir a imagem dos ditos recrutas 2006.O que interessa realmente é que todos são policiais e devem estar juntos lutando por melhorias,caso contrário vamos passar igualmente 17 ou 20 anos esperando uma promoção de CB e um misero aumento de 50 reais no soldo.Se esconder,todos buscam este objetivo tanto os antigões como os novatos a realidade é que muito poucos querem trabalhar e depois ficam procurando justificar falando dos companheiros.É isto que acaba com nós.Um estatuto furado que beneficia só os grandes,salários defasados e perseguições contra praças.Abram estes olhos para a realidade pois os concursos antigos e recentes não importam mais, o que vale é que estamos no mesmo barco e se brincarmos este afunda com antigos e novatos.

    ResponderExcluir
  18. Parabéns aos companheiros anônimo (26 de setembro de 2011 09:53) e 1 de nós (26 de setembro de 2011 11:15), que em poucas palavras disseram tudo.
    Nem sempre nível de estudo é sinônimo de competência e sabedoria.
    Existem muitos com nível superior que nem escrever direito sabem, e ainda reclama quando em algum curso tem a disciplina de língua portuguesa.

    PS.: Não sou contra o nível superior em qualquer situação, temos mais é que estudar mesmo, e acho até que já deveria ser exigido o nível superior para ingresso na Corporação PM. No entanto, isso não é motivo de alguém querer se sobrepor ao outro. Como já foi comentado, os níveis hierárquicos existem em qualquer órgão ou instituição, e devem ser respeitados. Esse respeito deve se estender inclusive, às pessoas como seres humanos, e deve ser recíproco.

    ResponderExcluir
  19. Atenção PM"s quanto mais policiais entrarem na PM, o salário fica difício de aumentar.Quando via calcular o impacto na folha, o governo recua. A PC é fácil de ganhar, devido o efetivo ser de 1200 policiais. Não fiquem alegres com esse aumento de mais 4000 homens.

    ResponderExcluir
  20. caros amigos, porque se fala tanto em diária operacional se no interior do estado isso não existe, será que so a capital precisa de pagar diarias operacionais?

    gostaria que alguém me respondesse quando é que o comando irá olhar para o interior e ver que aqui também tem polícia? não lembro quando foi a ultima vez que fui beneficiado com uma diária operacional, se não me engano no carnaval de 2009, me recordo que quase que não recebia o dinheiro da diária. porque essas associações não lutam para que os policiais do interior recebam essas diarias? ta dificil a situação, sem falar que essa conversa de aumento salarial ja ta enchendo o saco. para nós do interior o negócio vai complicar, pois pelo q estou vendo iremos continuar sem receber diarias, e sem receber aumento salarial.

    é mole?

    ResponderExcluir
  21. Enquanto as pessas que integram os quadros das polícias militares do brasil, tiverem em suas mentes determinados sentimentos como alguns apresentados, e o que parece é a maoioria, aí a amigos! independente do grau de instrução que possam possuir, será muito dificio sair deste marcapassos.

    ResponderExcluir