JORNADA DUPLA E DESUMANA

1º PARTE
Esta matéria foi publicada no Diário de Natal no dia 06 de junho de 2010, nota-se que após 15 meses nada mudou. Confiram a reportagem:

Embora o Estatuto da Polícia Militar do RN especifique que os profissionais devam se dedicar integralmente à corporação, quase todo policial conhece um colega de trabalho que atue em outro local nos horários e dias de folga, sobretudo fazendo segurança particular. É o caso de André, um PM que teve o nome trocado para não ser identificado e em 10 anos de vida dedicada à segurança pública, já passou sete deles em longas jornadas de trabalho, divididas entre o trabalho fardado e a vigilância privada.

Atualmente, André trabalha como segurança em um supermercado na Zona Norte de Natal, onde se reveza com mais três soldados, coordenados por um cabo que fez a "ponte" com a empresa. Lá, o policial dedica cerca de 160 horas por mês, que somam-se às 200 horas, aproximadamente, na PM. "Vivo assim para dar uma vida melhor à minha esposa e minha filha", justificou, afirmando que o salário que recebe do estado é baixo, embora reconheça que tem parte dele comprometido em umempréstimo.

O salário-base do soldado PM potiguar gira em torno de R$ 1,6 mil líquidos, além de um aumento de 5% a cada cinco anos. André recebe R$ 600 pelo "bico". "Me ajuda porque minha esposa é auxiliar de serviços gerais e recebe um salário mínimo".

Dentre as consequências de tantas horas trabalhadas sob tensão, André diz que já sofre de problemas no joelho esquerdo, aumento no tamanho do coração e revela, ainda, que precisa tomar remédio contra insônia. "Eu nem sou dos piores casos, porque pelo menos procuro médico e tomo alguma coisa. Mas a maioria dos meus colegas não vai atrás de ajuda, acha que é besteira". O policial chegou a dizer à reportagem que acredita que viverá pouco, mas "leva na flauta". "O trabalho nas ruas é extremamente estressante. Pode acreditar que a gente começa o serviço pedindo para terminar", desabafou André. "Em casa, acabei me tornando uma pessoa estúpida, sem paciência".

2 comentários:

  1. Isso é mais uma triste noticia para os irmãos da polica. Em busca de um conforto maior para a familia, o policial ter que aumentar sua carga horaria em um trabalho "extra" que não lhe dar o reconhecimento devido. Está na hora de uma mobilização urgente para melhoria salarial de uma classe que se arrisca em prol da sociedade, que pode ser de dia ou de noite está pronta para atender o cidadão. (Helio/ Parnamirim-RN)

    ResponderExcluir
  2. É A TRISTE REALIDADE!!!!! O SALARIO É VERGONHOSO PRA TANTA DEDICAÇÃO, NOIS MERECEMOS MUITO MAIS

    ResponderExcluir