ROUBOS AUMENTAM 31% EM NATAL

O bairro de Nossa Senhora da Apresentação, na zona Norte, foi a localidade que registrou o maior número de roubos em 2011: foram 420 casos, entre janeiro e julho deste ano. Lagoa Nova, com 389 casos, e Alecrim, com 270, também se destacaram negativamente entre as cinco primeiras localidades no topo das estatísticas. Outras dois bairros na zona Norte completam o "Top 5" do crime em Natal. São eles: Lagoa Azul e Potengi.

Para o comandante do policiamento metropolitano, coronel PM Wellington Alves Pinto, a incidência do crime está diretamente relacionada a fatores sociais. Soma-se a isso os problemas estruturais. Para ele, "tudo cai no colo da polícia".

"Há fatores sociais como problemas na educação pública e no núcleo familiar. Além disso, vemos postes apagados, ruas sem pavimentação. Tudo isso se soma e contribui para os problemas de segurança pública. A Polícia Militar não é onipresente", explicou Alves.


Ele também levantou a questão da população e área do bairro de Nossa Senhora da Apresentação. "É o maior e mais populoso da cidade. A incidência de crimes tende a ser maior".

A quantidade de roubos registrados na capital do Estado nos sete primeiros meses deste ano apresentou um aumento de 31%. Em janeiro, foram registrados 643 roubos em Natal e em julho esse número passou para 844. Os dados de julho de 2011, também superam os registros desse mesmo mês do ano passado, quando foram registrados 828 roubos. As estatísticas foram repassadas pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), através da Subcoordenadoria de Estatística e Análise Criminal.

O comandante do policiamento metropolitano destaca a necessidade de se registrar e denunciar o crime sofrido. A partir daí, ele esclarece que haverá planejamento estratégico para as áreas mais afetadas. "Contamos agora com a importante ferramenta da Subcoordenadoria de Análise Criminal. Nos reunimos todo início de semana para planejar ações e discutir casos a partir dos dados".

O coronel Alves também faz ponderações sobre o trabalho de investigação realizado. Para ele, a Polícia Militar trabalha com a prevenção e a ostensividade, a Polícia Civil tem que cumprir seu papel de investigar. "A parte de investigação vai apontar a formação de quadrilhas, o crime organizado, que alicia pessoas a trabalhar de forma criminosa".

Tribuna do Norte

Um comentário:

  1. AUMENTOU É?

    PEGOU MAL HEIN?

    E A TAL "RONDA CIDADÃ"?

    E AS MUDANÇAS NOS PROCEDIMENTOS E INVESTIMENTOS EM "INTELIGÊNCIA POLICIAL"?

    PERCEBEMOS QUE OS PRÓPRIOS NÚMEROS MATEMATICAMENTE CORRETOS, TRADUZEM EXATAMENTE A REALIDADE DOS GASTOS INOPERANTES FEITOS PELO ESTADO, DEMOROU TANTO A DAR UMA RESPOSTA E QUANDO O FAZ, FICA DE GRAÇA.

    QUEM CONTINUA PAGANDO TUDO?

    ResponderExcluir