PEC-300: PRESIDENTE DA CÂMARA DIZ QUE NÃO É POSSÍVEL VOTAR PISO SALARIAL DE PMS E BOMBEIROS EM CURTO PRAZO, MAS DEPUTADOS CONTINUAM PRESSIONANDO

Amigos, não adiantou nada o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS) dizer e repetir para deputados que apoiam a PEC-300 – proposta de emenda constitucional que cria um piso salarial nacional para policiais militares e bombeiros – e também para representantes das duas categorias com quem se encontrou em Brasília no dia 10 passado que não é possível votar a matéria em curto prazo, em segundo turno de votação.

Que é preciso antes “ouvir os governadores”, todos eles preocupados com o aumento de despesas que o piso salarial representaria.

Que o governo federal, co-responsável por parte dos investimentos, está num período de necessário aperto de cintos.


É curioso que, quando o atual vice-presidente Michel Temer era o presidente da Câmara, a PEC foi aprovada em primeiro turno de votação, em agosto de 2010, pela unanimidade dos 349 deputados presentes e ninguém, inclusive Temer, apoiador da medida, parecia preocupado com nada disso.
Bem, o fato é que parece que os deputados não tomaram muito conhecimento do que disse o presidente da Câmara.

Pois, apenas nos últimos dias, encaminharam requerimentos à Mesa da Câmara, solicitando que a PEC seja submetida a votação, “nos termos do artigo 114, XIV, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados”, os seguintes parlamentares – significativamente, de vários matizes ideológicos, e integrantes tanto da bancadas do governo como da oposição:

Hugo Napoleão (DEM-PI)
Edson Pimenta (PC do B-BA)
Santo Agostini (DEM-SC)
Almeida Lima (PMDB-SE)
Onyx Lorenzoni (DEM-RS)
Walney Rocha (PTB-RJ)
Dudimar Paxiúba (PSDB-BA)
Fernando Francischini (PSDB-PR)
Flaviano Melo (PMDB-AC)
Otoniel Lima (PRB-SP)

A novela continua…

Ricardo Setti

3 comentários:

  1. vou dizer uma coisa aqui, o piso salarial do professores foi aprovado a anos e ate hj nao é pago em estado nenhum(pode chegar a esse valor com as gratificações) e eles são civis imaginem nós que somos militares, não vão pagar nunca, essa é a realidade caros colegas!

    ResponderExcluir
  2. se fosse para aumentar o salario dos deputados ou desembargadores seria rapidinho,rapidinho , mas , como é para aumentar o salario de fome que policiais e professores, que são outra categoria importante para opaís esses misseráveis da politica ficam botando dificuldades, é por isto que este país esta mergulhado no antro da corrupção.

    ResponderExcluir
  3. Ainda tem um monte de bebé que fica fazendo conta com essa estória de PEC 300, PEC446 e agora já tão querendo até dar outro nome a ela, e de bom mesmo não tem nada pois desde 2008 eles ficam enrolando e ainda tem policial que acredita. Ora, se o piso dos professores, cujo valor não chega nem a R$1000 Reais não está sendo obedecido em nenhum estado,dirá o piso de policiais e bombeiros, que tem um valor bem maior. Tem até governador que já anunciou que não vai pagar, caso ela seja votada e aprovada, como Geraldo Alckmin de São Paulo, Sérgio Cabral do Rio e Jaques Wagner da Bahia.Isso é só embuste, de certo mesmo não tem nada, inclusive o valor desse piso nem foi cogitado para não "assustar" os governadores, pois seria definido pela presidente Dilma, mas seria um valor muito abaixo de 3 MIL REAIS e ficaria a cargo de cada estado, pagando o valor que fosse possível. Outra coisa que pouca gente sabe, é que os estados teriam até 2016 para chegar a um piso que não alcançaria nem 3 mil reais, como tá acontecendo com os estados que estão pagando sob forma de subsídios e muitos estão parcelando os reajustes em 3,4 e 5 anos. E QUANDO CHEGAR NO FINAL DESSES AUMENTOS,os valores já estarão defasados.

    ResponderExcluir