10 ANOS: CIDADÃO POR CIDADÃO

Por Genivan

Sou policial militar com dez anos de serviços prestados a sociedade trabalhando nas ruas e gostaria de poder falar um pouco sobre as alegrias que vivenciei durante esse tempo, mas como não foram muitas e como não interessaria a você, cidadão, saber de mim então resolvi falar sobre como você trata.

Quando entrei na polícia, você me orientou a procurar um trabalho digno. Foi minha primeira grande tristeza na carreira, pois vi na polícia um trabalho digno como qualquer outro, se assim não fosse, o que fariam 11 mil candidatos tentando conseguir uma das vagas? Em anos posteriores a disputa alcançou 35 mil canditados.

Você me diz todos os dias que meu salário é mínimo diante do risco que corro e realmente é. Apesar de muitos ainda quererem entrar na PM não são todos que tem coragem de enfrentar bandidos fortemente armados. Você me chama de idiota por isso e ao mesmo tempo reclama quando não consigo resolver seu problema dizendo que sou despreparado e que a polícia é burra!

Inúmeras vezes você me disse que policial militar não pode reclamar do salário, pois foi ele quem escolheu essa vida. Um policial é uma pessoa “burra” que não estudou e por isso merece sofrer. Que se ganha pouco não gaste! Não constitua família! Não tenha casa! Não tenha carro! Reclama que ganha pouco, mas tem um carro! Como pode? Além disso, você sempre me disse que sou um fracassado, que não tenho capacidade mental para aspirar a uma ascensão profissional.

Durante esses 10 anos você me disse: saia dessa vida, saia de perto desses burros sem estudo... dessa ralé. Será que você não percebeu o que está dizendo comigo?

Se todos os policiais e pessoas que tentam entrar na PM resolvessem estudar de tal forma a conseguir empregos melhores e esquecer a PM, como ficaria? Será que a população conseguiria viver um dia sem Polícia nas ruas? E eu desafio qualquer pessoa ficar sem a PM durante um único dia. Se não fosse eu lá agora, seria outro, é assim em todas as profissões como “gari”, pedreiro, soldador, encanador, eletricista... todas profissões dignas e necessárias para a sociedade assim como juiz, promotor de justiça, médico, empresário..ah por falar nisso, existem empresários que não sabem ler nem escrever e pelo simples fato de terem muito dinheiro, você os respeitam.

Fico triste quando você, cidadão, me chama constantemente de otário por não concordar com a corrupção, mas quando vê na tevê um caso envolvendo policiais, diz que todo policial é corrupto e bandido. Na clínica de fisioterapia onde me recupero das lesões que sofri durante uma prisão de um suspeito, logo pela manhã durante os telejornais exibindo notícias sobre polícia, tenho que ouvir você me dizer que: “se alguém vir um policial dirigindo um carro pode ter a certeza que ele é um bandido, pois policial militar não tem condições de comprar um carro porque ganha uma miséria”. Realmente é difícil a compra de um veículo ganhando tão pouco, mas talvez você não saiba que policial também é um ser humano que tem ou teve mãe e pai, família, os quais puderam oferecer algo para impulsionar suas vidas, além disso, você me viu diversas vezes trabalhando durante a minha folga para que eu possa manter minha família e além do cansaço físico, tenho que ouvir você dizer que estou errado e que estou praticando um ato ilegal porque um dia alguém lhe disse que um policial não pode trabalhar na sua folga.

Você me chama de corrupto, mas o tipo de corrupção na polícia mais comum envolve você cidadão. Chamam de corrupção policial, mas e o cidadão que participa dela? Você saiba que, na grande maioria dos casos, você atrai o policial oferecendo dinheiro em troca de favores, o que faz de você um criminoso, mas se ele recusar, você liga para a polícia e faz uma denúncia dizendo que o policial tentou a prática de extorsão contra a sua pessoa... Imediatamente o policial é chamado, retirado das ruas e punido disciplinarmente sem qualquer chance de defesa. Depois de todo constrangimento é chamado para ser ouvido. Durante o processo a que responde, ele é colocado de volta as ruas, pois seu superior disse que “um vagabundo sem trabalhar está no paraíso”, referindo-se ao policial. Portanto, não ofereça dinheiro, não faça troca de favores, exija o direito coletivo. Quando digo isso, você fala que tem a obrigação de garantir seus interesses e não os dos outros.

Se você, cidadão, é agredido, roubado, ou sofrer qualquer dano físico, moral ou material fala que a violência está tomando conta do mundo, que é preciso melhorar a segurança pública, que a polícia não faz nada, mas se um policial reagir a uma agressão, você cidadão fala que houve truculência policial, se um PM for roubado você logo diz: que policial fraco! Não tinha uma arma pra meter uma bala na cabeça do bandido? Mas se você presenciar um policial de folga utilizando uma arma para defender-se você logo diz: policial covarde! Só é homem com uma arma na mão. Se ele acabar ferindo alguém em uma ocorrência, você logo o julga, o chama de covarde e pede a morte dele sem saber o que realmente a conheceu. Quando seu filho é detido pela polícia, fala que houve um erro da polícia e que vai denunciar. Você não sabe, por exemplo, que seu filho pode ser um viciado em drogas que costuma praticar roubos ou mesmo um traficante e afirma com toda certeza que “meu filho nunca se envolveu em coisa errada”, pois em muitos casos os pais são os últimos a saber devido à liberdade exagerada e a falta de autoridade que os pais perderam no decorrer dos tempos.

Você não consegue enxergar o guerreiro que lhe defende 24 horas por dia, você me diz todos os dias que não me vê trabalhando principalmente durante a madrugada e que nunca viu uma viatura passar na frente de sua casa durante a noite. Talvez se você ficasse a noite toda acordado veria, não concorda?

Você diz que não faço nada, mas reclama quando são realizadas abordagens policiais dizendo que não é bandido, que é pai de família e que eu não tenho o direito de realizar meu trabalho. Sei que não posso tratar todos como suspeitos, mas também não posso tratar todos como pessoas de bem. Ponha-se no meu lugar.

Enquanto todos fogem quando há um tumulto, confusão, tiros, agressões ou qualquer outro tipo de perturbação, o policial corre ao encontro da situação. Você, certamente, nunca assistiu uma formatura de novos policiais onde juramos oferecer nossas vidas em sua defesa.

Quando somos atingidos por disparos efetuados por bandidos ou sofremos qualquer lesão no cumprimento do dever, você, que é curioso e sempre está próximo, comemora, ouço você dizer: “bem feito”, rindo e criticando uma ação mal sucedida, mas não ajuda dando informações para que o trabalho tenha êxito.

Você sabe que maus profissionais existem em todas as profissões existentes no planeta e você pode ser até um deles, mas se não for, com certeza saberá distinguir o que é bom e o que é mau, portanto cobre, exija, critique, exerça sua cidadania, mas saiba valorizar aqueles que lutam por você.

Quero finalizar pedindo para que você, cidadão, me perdoe por usar tantas vezes o pronome “você”. Como é de costume, você se sente ofendido dizendo que policial deve ter respeito com as pessoas e tratá-las como “senhor e senhora” e acabará esquecendo-se que leu sobre você e não sobre mim.

2 comentários:

  1. Muito bom, meu amigo. Apos dez anos a conclusao que eu tenho eh de que a nossa sociedade toda eh mesmo CORRUPTA.

    ResponderExcluir
  2. Disse tudo! Sabemos que na polícia e em todos os setores há corrupção mas não a sociedade não pode gerneralizar pois grande parte dela que se diz "pessoas de bem" faz parte da podridão e finge que sabe que também comete crimes. Os donos de estabelecimentos comerciais tambem são criminos ao dar dinheiro em troca de proteção! donod de casas de show cometem os mesmos crimes que os comandantes da PM pois pagam para os comandantes colocarem pms nas festas...tudo isso é corrupção!

    ResponderExcluir