DOS 15 PRESOS, 11 JÁ ESTÃO SOLTOS

Das 15 pessoas que foram detidas na segunda-feira passada, 4, em virtude da Operação Batalhão Mall, onze já estão com a liberdade garantida pelo Tribunal de Justiça do Estado. Os três empresários e oito dos doze policiais entraram com ação e conseguiram habeas corpus, não chegando a passar uma semana atrás das grades. Na segunda-feira, oitenta homens e 11 promotores de Justiça envolvidos na Operação deram cumprimento a 15 mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. Na sexta-feira passada, o desembargador Vírgilio Macêdo Júnior expediu alvará de soltura para oito praças da PM, que estavam detidos em carceragens do Bope, na capital do estado. O sargento Francisco Xavier Leonez ainda não teve o pedido julgado.

A Associação de Cabos e Soldados da PM informou que apesar de os oito soldados terem conseguido a liberdade através da Justiça, em um gesto de solidariedade, ainda estariam na carceragem do BOPE aguardando a liberdade dos restantes. O major Carlos Alberto Gomes de Oliveira e o tenente-coronel Wellington Arcanjo de Morais permanecem detidos em quartéis de Natal.

Os empresários Rodolfo Soares Fagundes de Albuquerque e Erinaldo Medeiros de Oliveira, donos de postos de combustíveis, estão libertados. O gerente da Nossa Agência, Pedro Gonçalves, também foi solto. O promotor de Justiça de Investigação Criminal, Wendell Bethoven Ribeiro Agra, confirmou a informação da libertação de oito dos doze policiais militares presos no início da semana passada. Segundo ele, a investigação fica prejudicada. "Fica mais difícil para nós trabalharmos. Os policiais voltarão ao quartel e farão qualquer tipo de contato que quiserem", disse. Apesar da soltura de parte dos envolvidos, o prazo de 20 dias para encerrar o inquérito permanece válido. "Se todos fossem soltos, o prazo aumentaria para quarenta. Mas os oficiais permanecem detidos, então o prazo é o mesmo", concluiu.

Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário