2ª CIPM SEDIADA EM JOÃO CÂMARA ENFRENTA MUITAS DIFICULDADES

A 2ª CIPM tem a responsabilidade de oferecer segurança pública a dezenove municípios da Região de Mato Grande.

Além da abrangência da área, o que é mais preocupante é a realidade da companhia que é bastante precária, principalmente no que se refere à falta de condições financeiras para o seu funcionamento. Até dois anos atrás era destinado uma verba mensal para cada OPM (Pelotões, companhias e batalhões) porém, esta contribuição deixou de ser remetidas as OPM’s desde o final de 2009.

Dinheiro este, que servia para manter os custos da instituição como: Alimento e a manutenção geral. A companhia de João Câmara tem atualmente uma dívida de quase R$ 8.000,00 (Oito mil reais) na cidade, só de compra de material alimentício, limpeza, gás de cozinha e outras necessidades.

Quando vinha a ajuda do governo do estado, a verba era destinada para compra de alimentos e também para as necessidades que iam surgindo, como por ex: o antigo prédio do Pelotão no bairro de Vila Nova, ainda quando estava no comando do Capitão Fonseca (Tenente na época) foi todo reformado com dinheiro deste repasse. Tudo que se danificava como: Serviços hidráulicos, elétricos, aquisição de material doméstico, ou outras necessidades eram consertadas com este dinheiro. Hoje a instituição cresceu, tanto em efetivo, quanto no burocrático, consequentemente os gastos também.

Devido as dificuldade que os comandantes encontram quando chegam para comandar a companhia de João Câmara, fica difícil a permanência destes oficiais na cidade. Em menos de um ano e meio a companhia de João Câmara já foi comandada por 04 oficiais diferentes, que saíram por opção, exceto o major Alberto que foi exonerado da função recentemente, os demais preferiram retornar para a capital ou assumir outra organização militar por falta de condições de trabalho.

Sabemos que em qualquer área de trabalho, seja professor, médico, ou policial, procuram está onde haja uma condição mais favorável, isto é óbvio, pois ninguém pode realizar um bom trabalho sem dinheiro.

Segurança pública é prioridade, sabemos disso... E o efetivo da 2ª CIPM é esforçado, tem boas intenções. Temos policiais dispostos ao serviço, mas faltam viaturas e estrutura para funcionamento.

Como podemos falar em “Segurança pública” sem estrutura para trabalho?

"A companhia de polícia de João Câmara precisa de uma reestruturação urgente; uma proposta com apoio sustentável por parte dos 19 municípios para que possamos melhorar os nossos serviços. Deixo aqui o meu desabafo como integrante desta organização que tanto amo..." Sargento PM Sandra

Nenhum comentário:

Postar um comentário