SARGENTO REGINA PEDE AFASTAMENTO DE ALBERT DICKSON DA CEI DOS ALUGUÉIS POR CONVÊNIO QUE CLÍNICA DO VEREADOR MANTÉM COM A PREFEITURA

Após pedir desligamento da Comissão Especial de Investigação (CEI) que vai apurar as denúncias de irregularidades nos contratos de aluguéis da prefeitura de Natal, a vereadora Sargento Regina (PDT), propositora do requerimento, na sessão ordinária realizada ontem na Câmara Municipal pediu ao presidente da Comissão, Bispo Francisco de Assis (PSB), o afastamento do vereador Albert Dickson (PP) da CEI.

Alegando que não haverá imparcialidade nos trabalhos, a pedetista aponta dois motivos que considera inegáveis para comprovar sua solicitação. O primeiro é o fato de os dois membros da comissão são da base aliada da prefeita Micarla de Sousa e tomaram para si as duas funções que definem os rumos das investigações: relatoria e presidência – motivo pelo qual ela afastou-se dos trabalhos.

O outro e principal motivo para que Albert Dickson sequer seja membro da CEI, na opinião de Regina, é o fato de ele ter convênio com a prefeitura para atendimento em sua clínica.

“Como pode? Ele vai acusar a patroa? Não, isso não está certo, não tem como haver imparcialidade nesse processo”, declarou a vereadora. “Ao se tornar relator, ele tem o poder de investigar, é o mesmo teor policial”, lembrou.

Regina comentou sobre a possibilidade de o vereador do PP justificar que o convênio não é firmado com ele, mas sim com sua esposa ou familiares. “Se vier usar essa desculpa, então é preciso que retire o nome dele da fachada do seu estabelecimento, porque aí vai está confirmando que faz propaganda enganosa”, ressaltou.

Regina comunicou sua intenção e disse que recebeu o apoio da bancada de oposição à prefeita em reunião na manhã de ontem.

Desde que foi formada, há mais de uma semana, a CEI ainda não realizou nenhum trabalho, devido aos impasses políticos.

Fonte: Novo Jornal

Um comentário:

  1. “Como pode? Ele vai acusar a patroa? Não, isso não está certo, não tem como haver imparcialidade nesse processo”, declarou a vereadora. “Ao se tornar relator, ele tem o poder de investigar, é o mesmo teor policial”, lembrou.

    isso já diz tudo...

    ResponderExcluir