RETORNO ASSASSINO

Meses atrás a Tribuna do Norte denunciou a existência de vários retornos clandestinos na BR-304, no trecho Parnamirim-Macaíba. Até agora o DNIT não tomou nenhuma providência. Esses retornos cortam o canteiro central da rodovia e causam um perigo enorme a quem transita pelas pistas (três de cada lado) da BR. Com o passar do tempo os desvios ilegais que, no começo, foram abertos pelos motoqueiros, se alargaram e permitem hoje a passagem de veículos pesados, caminhões e até ônibus, laboratório perene para os transgressores natos e acobertados pela negligência da lei. Tudo isso à luz clara do dia, mas escura à fiscalização, entrando nesse time a própria Polícia Rodoviária Federal.


O trecho Parnamirim-Macaíba tem apenas 10 quilômetros. Há dois retornos legais, cada um guardando mais ou menos uma distância de três a quatro quilômetros, um do outro. Os retornos clandestinos ficam no primeiro trecho - na direção Parnamirim- Macaíba, exatamente entre o primeiro e segundo retornos legais, concentrados na área onde se localiza o distrito industrial. Um dos desvios ilegais está em cima da divisa (tem placa) entre Parnamirim e Macaíba. Já contei o número de desvios ou retornos ilegais: são 6.

O primeiro desvio bandido começa logo após a entrada da Estação de Rádio da Marinha, menos de 300 metros do primeiro retorno legítimo, o que fica no final da subida de depois da ponte sobre o rio Pitimbu.

Um dia que houver um acidente grave por ali com feridos e mortes a lamentar, é provável que o DNIT faça alguma coisa. A propósito, o que o DNIT faz mesmo no Rio Grande do Norte?

Nenhum comentário:

Postar um comentário