COMANDANTE GERAL E ASSOCIAÇÕES DISCUTEM O SUBSÍDIO

Aconteceu nesta quarta-feira, 1º de junho, no Quartel do Comando Geral em Natal, uma reunião envolvendo as entidades representativas de praças e de oficiais da PM e BM/RN, e o Comando geral da PM/RN.

A referida reunião ocorreu para tratar da proposta de subsídio defendida pelas associações. Na reunião foi apresentado o texto que dá o embasamento da proposta bem como foram feitos no mesmo alguns ajustes com a intenção de otimizá-lo.

A proposta de subsídio foi encaminhada ao comando geral da PM após terem sido realizadas Assembléias Gerais Unificadas em todo o estado.

Nela, está presente a forma de remuneração defendida pelas associações sendo que, da forma como foi elaborada, prevê a valorização vertical e horizontal.

Na reunião foi proposto mudanças nos índices e valores iniciais sendo que a maioria das entidades presentes argumentaram contrárias às mudanças temendo um achatamento dos valores da base.

Após muitas discussões e explanações de motivos de ambas as partes foi decidido pela maioria que tais mudanças seriam aceitas desde que houvesse a garantia de que soldados e cabos não seriam afetados com prejuízo de grande valor.

Para as entidades de praças os valores até podem ser modificados desde que não fiquem abaixo de certos limites.

Foi solicitada a garantia, por parte do Comando geral, bem como da Associação de Oficiais de que caso haja a possibilidade das alterações propostas causarem um prejuízo de grande valor para os praças a proposta seria novamente discutida e os índices e valores refeitos mais uma vez.

Segundo o Comandante geral da PM/RN, o mesmo, irá agendar nos próximos dias uma reunião com o chefe do Gabinete Civil do Governo para apresentar a proposta e encaminhá-la ao Governo do Estado.

As modificações sugeridas serão apresentadas em assembléia para a categoria.

APMABMASSACSAPRAMASSPRAAPBMSASPRA – ASPIPERN – ASSOFME – COPOM

4 comentários:

  1. O CMT está apenas segurando a tropa, ou vcs acham que ele tb vai em desencontro com o estado e colocar o cargo em risco?

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Mais uma "manobra" para ganhar tempo para o Governo, e de ante-mão já digo que se a "fatia do bolo" não for repartida por igual (entre oficiais e praças) os praças saberão apontar os culpados, como também saberão agradecer aos que lutam pelas melhoras, se vierem ... vamos aguardar , más já tou sentindo mal cheiro...

    ResponderExcluir
  4. Claro, sempre foi assim, a gente da base fazemos a pressão e eles ganham, entramos em greve e somos punidos , mas os salarios deles sempre aumentam.

    ResponderExcluir