BOMBEIROS PERMANECEM ACAMPADOS EM FRENTE À ALERJ

Rio de Janeiro - Bombeiros permanecem acampados em frente à Assembleia Legislativa (Alerj), no centro do Rio, para pressionar pela libertação dos 439 colegas presos durante a invasão ao Quartel Central do Corpo de Bombeiros, na sexta-feira. Os manifestantes ocupam a escadaria principal do prédio com faixas e cartazes.

No local, também estão representantes de vários partidos e de organizações sociais. Um grupo de deputados deverá fazer uma visita aos presos que foram transferidos para a unidade militar do Corpo de Bombeiros, em Charitas.

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil seção Rio de Janeiro (OAB-RJ) vai acompanhar a situação dos 439 bombeiros presos por determinação do governador do Rio, Sérgio Cabral. O presidente da OAB-RJ, Wadih Damous, avaliou neste domingo, em entrevista, que as reivindicações salariais dos manifestantes são justas e legítimas. "Eles estão com os salários absolutamente aviltados, prestam um bom serviço e são admirados e benquistos pela população".

Damous discordou, contudo, da forma como os bombeiros quiseram chamar a atenção das autoridades para suas reivindicações. "Isso não justifica a invasão do quartel. Nós achamos que, nesse aspecto, o movimento errou. Isso gera tensão, gera pânico na população. E não é assim que se faz reivindicação, no nosso ponto de vista".

É de opinião, contudo, que a negativa do governo do estado em negociar com os bombeiros acaba gerando "um quadro de radicalização, que ninguém quer". Wadih Damous disse ter recebido notícias de que os advogados dos presos tiveram dificuldades em falar com os seus clientes. Representantes da OAB entraram em contato com o comando da Polícia Militar para solucionar o problema.

As manifestações de Bombeiros do Rio por melhores salários ganharam força neste domingo. Por volta das 21h30m, um grupo de aproximadamente 50 bombeiros iniciou um ato na altura do vão central da Ponte Rio-Niterói. Os manifestantes desceram de um ônibus e chegaram a caminhar em uma das quatro faixas. Depois, retornaram ao ônibus e seguiram viagem.

Fonte: JB

Nenhum comentário:

Postar um comentário