PRESÍDIO DE CAICÓ FAZ SUA PRIMEIRA VÍTIMA DAS CONSTANTES DESCARGAS ELÉTRICA

O presidiário Erasmo Carlos Pereira, 27 anos, morreu no início da tarde deste sábado (14) na Penitenciária Desembargador Francisco Pereira da Nóbrega, em Caicó, onde cumpria pena por assalto desde 2006. Ele sofreu um choque elétrico ao encostar-se em uma caixa de eletricidade no pátio do presídio durante o banho de sol.
Erasmo chegou a ser socorrido por outros detentos, que o levaram até os agentes penitenciários, mas já estava sem vida.


O corpo do detento Erasmo Carlos Pereira,27 anos, foi removido para o ITEP.
O corpo do preso  ficou várias horas na entrada de acesso ao presídio

Ainda não se tem a causa oficial de sua morte, mas segundo relatos de alguns agentes penitenciários ele teria encostado-se a uma caixa de distribuição de energia e sofrido uma descarga elétrica, caindo morto quase que instantaneamente. Um outro preso de nome João Batista também foi retirado da cela ferido, ele algeou que foi atingido por um tiro disparado por um agente.
O juiz Luiz Villaça esteve pessoalmente no Presídio
O Juiz da vara Criminal Luiz Villaça esteve lá e acompanhou tudo de perto ao lado da direção da Penitenciária chegando a dizer que já espera que isso pudesse acontecer, pois a situação do presídio com relação a parte elétrica tem sido uma grande preocupação.
O preso Erasmo foi uma das pessoas presas depois da ação que vitimou fatalmente o PM Smith na cidade de Jucurutú. Ele foi preso no bairro Recreio em Caicó no dia seguinte daquela fatídica ação, por policiais da 2ªseção do 6ºBPM em uma residência onde foram encontrados documentos de membros de uma quadrilha que agia na região.
A situação de calamidade do Presídio em Caicó já vem sendo debatida a muito tempo, inclusive o Juiz da vara Criminal Dr. Luis Cândido cogitou pedir a interdição total do Pereirão.
Cabo João Batista presidente da APBMS esteve no presídio
O presidente da Associação dos policiais Militares do Seridó, CB João Batista, fez várias denuncias cobrando melhorias não só nas celas como também nas guaritas do presídio.
O promotor público Geraldo Rufino esteve  lá também acompanhando tudo de perto e chegou a conversar com o preso João Batista que alegou ter sido ferido na perna por disparo que teria sido efetuado por um agente, informação ainda não confirmada pela direção.
Fonte: APBMS

Nenhum comentário:

Postar um comentário