POLICIA CIVIL ENTRA EM GREVE NO RN

O indicativo de greve por tempo indeterminado da polícia civil se confirmou na noite desta segunda-feira (16). A partir das 8h desta terça-feira (17) os agentes e escrivães do Rio Grande do Norte paralisam suas atividades. Somente serão realizados os procedimentos de flagrante, sendo garantidos os 30% estabelecidos pela Lei de Greve.

A decisão foi reafirmada na sede do SINPOL/RN, após a audiência frustrada com o Estado no meio da tarde (em assembléia na semana passada os policiais já tinham aprovado o indicativo de greve por tempo indeterminado para o dia 17 de maio). A diretoria do Sindicato foi convocada de última hora pelo secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Aldair da Rocha. O gestor, no entanto, apenas repassou o posicionamento do Governo de não cumprir a lei 417/10 que estabelece a implantação do Plano de Cargos dos agentes e escrivães e que deveria ter sido implementado em abril passado.

“O secretário disse que não pretendiam cumprir o que está estabelecido em Lei, não nos deixando alternativa que não fosse deflagrar a greve. Nós esperávamos mais respeito e por isso vamos lutar pelo que é justo. E temos certeza que a população nos apóia”, observou a presidente do SINPOL/RN, Vilma Marinho.

MOBILIZAÇÃO
A assembléia da categoria aprovou três ações já para o início desta terça. São dois piquetes: nas Delegacias do Turista (Deatur) e do Cidadão (Decida), respectivamente, no Praia Shopping e Via Direta, além de concentração da categoria na sede do Sindicato, na Avenida Rio Branco.

PAUTA
O SINPOL/RN observa que também faz parte da pauta de reivindicações junto ao Estado os seguintes pontos ainda pendentes:

· Retirada total dos presos das delegacias (capital e interior);
· Substituição das “quentinhas” pelo Vale-refeição;
· Serviço de Limpeza para as Delegacias;
· Regulamentação do Livre Acesso dos Policiais Civis aos locais sujeitos a fiscalização da polícia;
· Nomeação dos aprovados no último concurso (2009); e
· Reforma do Estatuto da Polícia Civil.

Fonte: Francileno Gois

Nenhum comentário:

Postar um comentário