ASSEMBLEIA GERAL UNIFICADA

Foi realizada neste sábado, 21, uma Assembléia Geral Unificada dos policiais e bombeiros militares do Rio Grande do Norte, durante a reunião as associações informaram a importância do Código de Ética, o Estatuto e o Subsídio para toda categoria militar do nosso estado.

Estiveram presentes cerca de 500 militares que ocuparam o auditório do CEMURE (Centro Municipal de Referência em Educação Aluízio Alves).

Os presidentes das entidades fizeram uma breve apresentação, colocando o apoio ao processo de negociação. Apresentaram-se: Sd Heitor, ASSPRA; Sd. Tony, APRAM; Cb Heronides, APM; Sgt Filgueira, ASPIPERN e Cb João Batista, APBMS.

CÓDIGO DE ÉTICA
A assembléia se iniciou às 9 horas com a exposição do Soldado Maribondo, integrante da ABM, que fez uma síntese do texto do Código de Ética.

ESTATUTO
Em seguida Sgt Elibe Marques, presidente da ASSPMBM-RN, iniciou a exposição dos pontos do Estatuto, colocação que foi finalizada pelo Cabo Jeoás, presidente da ACS.

DIEESE
Outro momento importante foi à exposição do supervisor técnico do DIEESE, Melquisedec Moreira, que relatou a situação da receita do Estado com base nos dados do Portal da transparência, para que os militares tomassem conhecimento da arrecadação atual do governo do RN.

SUBSÍDIO
Depois foi a vez do Cel. Mendonça, presidente da ASSOFME, expor o texto do Subsídio. O oficial frisou que todo processo de negociação é fruto de uma luta em conjunto dos praças e dos oficiais.

O soldado Maribondo apresentou a tabela proposta por toda a categoria, divulgando o subsídio equivalente a cada graduação e posto dos militares estaduais.

PARTICIPAÇÃO
Após todas as exposições da mesa foi aberta fala ao plenário para que os militares colocassem suas dúvidas, críticas e sugestões. Entre as colocações foram dados apoios ao movimento pelo contingente feminino na pessoa da Sgt Vanete, dos inativos da reserva na pessoa do Sgt Zerarino, e feito alguns questionados com destaque para o Sd Paulo, que quis saber se existe cronograma de mobilizações no processo de negociação após o envio das demandas ao governo.

NOVA ASSEMBLEIA
Finalizando o evento foi definido a data da próxima assembléia, que será dia 18 de junho/2011. Esses 27 dias foi um prazo acordado por todos, como período necessário para que o governo do Estado avalie as demandas, e se posicione diante das reivindicações da categoria.

Editado por Cabo Heronides
Fonte: www.asspmbmrn.org.br

9 comentários:

  1. Esperamos que com a demonstração de seriedade, luta, responsabilidade, dignidade, força política e acima de tudo unicidade, estejamos seguindo um curso tranquilo e vitorioso.

    A paz nas negociações demonstram também que aprendemos que a união de esforços vale a pena e que o Governo vai sentir que com organização, perseverança e um ideal, são mais que suficientes para chegarmos em algum lugar, no caso podemos dividir em três: Ética, Estatuto e valorização salarial. É impossível ser ético, normativo se não tivermos uma valorização salarial à altura de nossa categoria.

    Vamos continuar nessa tocada, e, com certeza num futuro bem próximo sejamos vitoriosos.

    ResponderExcluir
  2. Ainda a velha ilusão de sempre (infelizmente)...

    "27 dias foi um prazo acordado por todos, como período necessário para que o governo do Estado avalie as demandas, e se posicione diante das reivindicações da categoria."

    ...é o famoso poste "querendo" mijar no cachorro! Good luck for us!

    ResponderExcluir
  3. E como ficam os cabos e sargentos que forma promovidos faz um ano ou mais e até agora não receberam um centavo?

    ResponderExcluir
  4. Algo que me deixou pensativo não foram as propostas apresentas e sim a quantidade de policiais presentes na assembléia, 500 é um numero insignificante levando em conta o efetivo da capital e da Grande Natal.
    Nós não podemos baixar nossas cabeças e desistirmos assim tão fácil de lutarmos a favor dos nossos ideais, já q diariamente lutamos em favor dos outros, não vamos nos deixar levar por fatos q ocorreram no passado e vamos nos unir por um futuro melhor.
    Feridos e abatidos, pode até ser, más nos rendermos e desistirmos nunca, jamais. Deus é um Deus do impossivel creiam q ele está a frente de tudos.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. a categoria esta esperando uma resposta, a ultima greve deu em arquivamento pois quanto maior foi o numero de participantes, mais forte sera o movimento. Um governo não pode colocar para fora toda a policia do estado se todos fizerem greve, mas se alguns fizerem ela pode colocar, no ultimo evento desta magnitude, foi arquivado pois seria impraticavel ouvir todos e testemunha de todos , portanto , que o governo de logo uma resposta pois tem muita gente que sabe desses fatores.

    ResponderExcluir
  7. Muito bom e bonito, acima de tudo somos pais de família, vivendo de um salário razoavelmente bom para os miseráveis que somos, presos a um estatuto brutal, a uma hierarquia na qual só é visto e valorizado quem tem graduação e patente, já vimos o que uma movimentação nos traz, as duas ultimas terminou em exclusão de alguns companheiros e a outra em uma esmola de 100,00 R$. Sem se falar que esta de 100,00 R$, foi uma das que mais, as praças foram às ruas, e os benefícios fiaram nas mãos dos oficiais como sempre. Nosso estado, e população têm a policia que merece. Associações preocupadas com seus interesses políticos e uma corporação consciente com todos os demando estruturais.

    ResponderExcluir
  8. Quantas assembleias serão necessárias para que possamos deixar de falar e passarmos a agir?
    Acredito que tantas reuniões sem definições de ação e apenas de caráter informativo estão mais uma vez colocando em descredito essa tão comentada UNIÃO entre os policiais.
    Sejamos sinceros, quem acredita que de fato os oficiais possam estar unidos com os praças?
    É pagar pra ver.

    ResponderExcluir