RONDÔNIA: 1° BPM INICIA PARALISAÇÃO APÓS PRISÃO DE PM POR NÃO USO DE BOINA

No inicio da manha desta terça, o 1º BPM – RO, iniciou uma paralisação nas atividades na capital, pois segundo os PMs as humilhações são constantes por parte dos superiores.

Entretanto, o estopim veio após a prisão do PM Shilton no final da tarde da segunda-feira (28) dentro da Central de Polícia, pelo seu superior, identificado como, Capitão PM Everaldo. O motivo da prisão foi por causa que o PM Shilton, não usava a boina. “Polícia tem que prender é vagabundo”, disse um associado da ASSFAPOM.
Capitão Everaldo disse que depois que deu voz de prisão ao PM Shilton, o conduziu até a Corregedoria da Polícia Militar, onde foi lavrado o flagrante, diante de confirmações de testemunhas. Na lavratura da ocorrência, o Capitão acabou ficando na Corregedoria até o início madrugada desta terça-feira. O PM Shilton acabou ficando detido em uma das celas do Centro de Correição da PM, com prisão Administrativa e punição de até 10 dias de detenção ou posicionamento do Ministério Público sobre a situação.
"Cadê o direito de ampla defesa e do contraditório do referido soldado, a PM de Rondônia esqueceu que isso é garantido na Constituição Federal. Isso foi um abuso!" Cabo Heronides.

O tratamento dado aos PMS da capital e do interior é pior que o tratamento dado aos detentos do sistema prisional do Estado de Rondônia. Os constrangimentos aos policias militares são constantes”, finalizou Ada Dantas.


Policiais da COE acompanham paralisação no 1º BPM e secretário de segurança se reúne com manifestantes

Ainda há pouco duas viatura da Companhia de Operações Especiais da Polícia Militar foram até o 1º Batalhão da Polícia Militar, cujos praças e PMs estão paralisados desde o início da manhã desta terça-feira (29) em vista de um protesto pela prisão de um policial militar ocorrida ontem (28).

Policiais da COE deram uma volta até o portão do batalhão, conversaram com alguns manifestantes e depois estacionaram e estão de prontidão no local.

Os policiais paralisados estão nesse momento reunidos com o secretário de segurança pública do Estado, Marcelo Bessa, para conversar e chegar num acordo. Uma comissão feita policiais e esposas, membros da ASSFAPOM participam da reunião.

Com a chegada do secretário de segurança os portões do 1º Batalhão foram abertos e os serviços se normalizam.

Capitão PM esclarece prisão de policial militar e sofre ataque em sua residência.

O Capitão PM Everaldo em vista da prisão que realizou a um companheiro de farda na tarde de ontem (28), utilizado até como motivo para justificar paralisação de policiais no 1º Batalhão da Polícia Militar na manhã desta terça-feira (29), em contato com a reportagem do Rondônia ao vivo esclareceu que a detenção se deu por desrespeito a um superior e não somente por causa do “não uso da boina”.

Segundo o capitão, quando ele voltava de uma diligência em uma viatura com outros policiais, passou em frente a Central de Polícia e deparou com o policial militar Shilton sentado em cima de uma moto, com as pernas cruzadas e sem estar utilizando a boina. Foi quando o advertiu que aquela não era uma postura de um policial militar que se encontrava em frente a uma instituição de polícia. Quando, segundo o capitão, o policial lhe disse: “A moto é minha e fico em cima dela do jeito que eu quiser”.

O capitão então desceu da viatura e questionou sobre a atitude do policial. Quando então foi desrespeitado na frente de seus subordinados. Nesse momento o policial disse ao seu superior que, se ele seria detido por causa de sua postura na moto e da falta da boina, ele, Capitão PM Everaldo, deveria receber o mesmo tratamento, pois estava sem a tarja de identificação, obrigatória na farda. No que o oficial justificou dizendo que estava sem a tarja porque tinha perdido momentos antes em uma operação policial de tráfico de drogas realizada no bairro Mucambo, região central de Porto Velho.

Everaldo disse que depois que deu voz de prisão ao PM Shilton, o conduziu até a Corregedoria da Polícia Militar, onde foi lavrado o flagrante, diante de confirmações de testemunhas. Na lavratura da ocorrência, o Capitão acabou ficando na Corregedoria até o início madrugada desta terça-feira. O PM Shilton acabou ficando detido em uma das celas do Centro de Correição da PM, com prisão Administrativa e punição de até 10 dias de detenção ou posicionamento do Ministério Público sobre a situação.

ATAQUE

Logo depois por volta de 1h30 da manhã ele se retirou, indo para sua residência, localizada na rua Álvaro Maia, entre as ruas Getúlio Vargas e Salgado Filho, bairro São Cristovão, zona Centro-Norte. Depois de vinte minutos após ter entrado em sua casa, foi surpreendido por uma saraivada de disparos de arma de fogo contra o portão. Quando oito balas atingiram a parede e portão de sua residência. Ele não soube informar quem foram os responsáveis pelo ataque. Porém, ele suspeita que tenha algo a ver com a prisão do policial, mas nada foi comprovado.

Uma equipe da polícia foi solicitada junto com a perícia técnica para apurar o que houve na residência, constatando os disparos efetuados. Uma ocorrência foi registrada no 3º DP e repassado para o Serviço de Investigação e Captura (SEVIC), que irá apurar o caso.

6 comentários:

  1. Esses regulamentos arcaicos não pode mais existir, renovação JÁ!
    para fazer uma parte Elogiosa é uma briga...

    ResponderExcluir
  2. Já disse e repito, não há como mais serem aceitas punições (leia-se penalidades) abusurdas como estas. E a dignidade da pessoa huma, como fica? É ou não um princípio garantido pela constituição Federal? Os presidentes de Associações das PMs, por meio dos respectivos advogados, já deveriam de há muito tempo vir arguindo a inconstitucionalidade de tais regulamentos! Todos são anteriores a 1988, e todos são contrários ao que reza a lei maior, portanto, todos são inconstitucionais... Esse é meu pensamento, e não vou deixarde de bater nessa tecla enquanto não for questinonado na justiaça. Quem tem que analisar causas como esta é o judiciário, e para isso ele precisa ser provocado!

    ResponderExcluir
  3. Meu Heronides, ñ é tão fácil evitar td isso, pq ñ usam a cobertura? me poupe companheiro qual benefício trás um reportagem dessa? a boina é p ser colocada aonde?

    ResponderExcluir
  4. Concordo com José, a boina tem que ser devidamente colocada na cabeça, pois é o local ideal. não existe a menor possibilidade de ser colocada numa outra parte que não seja sobre o cranio.É pura perda de tempo , ficar a discutir assunto tão sem inoportuno.Outra coisa: O que motivou a esse oficial ter dado voz de prisão a esse soldado? acham que foi a não colocação da boina? ouve desentendimentos? o soldado chegou a alterar com o oficial em tela? houve mais coisa , além do que foi postado na reportagem.Não estou a defender oficial, não sou advogado de ninguém, e sou praça,mas sejamos sinceros algo ocorreu ai nessa situação para chegar a tal ponto.

    ResponderExcluir
  5. Respeito os comentários e a opinião de todos, afinal vivemos em uma democracia. Porém, o que se está se comentando não é o fato de onde se deve ser posta ou não a boina, claro que é na cabeça. O mérito da questão, e o que sustento (e sempre sustentarei), é que não há cabimento mais de haver prisões por tais fatos, e é aí que os regulamentos estão defasados, pois ainda se permite tais situações! O oficial está embasado na lei, ele cumpriu a lei ao prender o PM por tal descumprimento, porém, vejam em que ano e em que momento histórico do país tal regulamento entrou em vigor??? Vejam qual era a realidade do Brasil e das PMs naquela época??? Enfim, a inconstitucionalidade de tais regulamentos é flagrante, e cabe a nós defendermos mudanças, e mudanças começam surgir de pequenos atos, de uma mudança de mentalidade, de quebra de paradigmas, etc... porém, quem quiser defender o contrário que fique à vontade. Eu só acho que há atitudes muito mais importantes a serem exigidas de um policial! Pensar o contrário e pensar como se pensava no tempo da propositura de tais transgressões e pensar numa polícia nos moldes da "POLÍCIA DE JOÃO MÔCO"!

    ResponderExcluir
  6. companheiro somos militares por que queremos, o uso da cobertura é obrigatório, então o militar dcaio que ñ usar a cobertura ñ pode sofrer nenhuma sanção? o que fazer com ele? nada? vc já viu a diferença qdo avistamos um soldado bem uniformizado e outro largado? seja honesto, num primeiro momento vc confia mais no bem uniformizado ou no largado?

    ResponderExcluir