PM SE IRRITA COM BARULHO DE JOVENS E TIRA A ROUPA EM JOINVILLE/SC

Era noite e um grupo de oito crianças e adolescentes estava na rua. De repente um morador irritado com o barulho chegou de carro. "Para o carro, chega um policial fardado, com a arma na mão, eram criança de 10, 11 anos, o maior tinha 12, no muro, chamando de vagabundo, ele queria até bater nas crianças", conta um morador.

Parte da cena foi gravada pelo pai de um dos jovens, mostra o policial fora de si e logo depois ele começa a tirar a roupa. “Vou tirar a farda aqui também, que eu não quero mais receber um salário miserável da polícia pra aguentar desafororo”, disse ele.



Segundo testemunhas, o pior não está gravado. Foi quando tudo começou por volta das sete da noite. Os moradores dizem que o policial militar chegou a atirar duas vezes em direção ao grupo e ainda obrigou um dos adolescentes a segurar a arma.

“Ele chegou, pediu pra atirar nele, falou que não quer mais trabalhar ali, até atirou na gente, ainda bem que não pegou", conta o adolescente.

O PM só se acalmou quando policiais, chamados pelos moradores, chegaram. A marca de um dos tiros está na calçada. Um dos jovens teve de receber atendimento médico. "Chamaram até o SAMU pra fazer o atendimento nele, porque tava chorando direto, ficou transtornado”.

O policial foi identificado. É o soldado Mario Caspechen, trabalha há 15 anos na corporação. Segundo o comando da PM, não é a primeira vez que ele tem esse tipo de problema. Chegou a passar por tratamento e depois disso foi considerado apto para o serviço. A polícia abriu inquérito para apurar o caso.

“Nesse primeiro momento ele foi afastado do serviço e vai ser encaminhado à junta médica em Florianópolis, que vai avaliar o que aconteceu com ele no dia de ontem, se teve um surto psicológico ou problema de stress”, diz Cel. Adilson Michelli, comandante 17° Batalhão PM/Joinville.

O excesso em servidores públicos vai desde advertência à demissão. Não existe padrão, mas ainda é cedo para julgar.

Fonte: Jornal Hoje

9 comentários:

  1. Quem é o culpado desta ocorrência não é o policial, e sim os gestores que o colocam na rua. Pois está claro e evidente que este policial não tem a mínima condição de está apto ao serviço.

    ResponderExcluir
  2. E com toda certeza o moral desse PM está pra lá de baixo, digo sua auto estima. não deveria ter sido colocado de serviço nas ruas,pois é uma ameaça a sociedade. como esse, existem muitos outros PMs em situação de risco pior que esse, devido ao enorme desgaste psicológico sofrido no decorrer dos anos.

    ResponderExcluir
  3. ta vendo como são as coisas: quando um policial faz besteira ganha a midia, agora colocar a pec 300, na midia ai sao outros quientos , o que deveriamos fazer é nao publicar esse tipo de materia, fazer o que eles fazem, boicotes nas informaçoes que denigrem a imagem da policia.

    ResponderExcluir
  4. É lamentável um Policial chegar a uma situação dessa porém não o condeno pois a vida que esse cidadão estar vivendo só ele é capaz de relatar e nós que assistimos a essa reportagem podemos imaginar. A situação financeira que vive os policiais do Brasil quase todo retirando o de Brasília é de miséria mesmo, sem condições de dar uma vida digna aos seus familiares é de chegar a esse ponto de desespero que abalou esse companheiro. E outros virão por aí se não for tomado uma providência imediatamente pelos Governos Estaduais e Federal, lutar contra a impunidade,deslealdade, estress, má condição de trabalho, escala, e salário miserável é de enlouqueçer qualquer pai de família, não condenem esse policial, ele é retrato da condição de vida que vive hoje os Policiais brasileiros.

    ResponderExcluir
  5. O culpado de tudo não é o SD, um pouco sim quem o liberou para voltar as ruas. Porém para mim o maior culpado de tudo é o estado, a sociedade passiva que só abre a boca quando acontece uma coisa desse tipo, mas não tem coragem de abri a boca pra cobrar sálarios mais justo para quem os protege, arriscando sua própria vida.
    Uma sociedade que não respeita quem está na rua defendendo ela mesma. Onde um policial só tem deveres e nada de direitos. Direitos tem qualquer um de desrespeitar um policial em seu cumprimento de dever. Agora o que me deixa realmente revoltado é que sempre acontece um fato desse a imprensa sensacionalista adora mostrar, mas não procura saber depois quais os motivos que levaram um cidadão a chegar a este ponto. Sociedade hipócrita, em Goiás um deputado tá querendo desarmar a polícia e nem a sociedade que vai sofrer com este absurdo abre a boca pra gritar e nem a imprensa quer fazer uma reportagem sobre o assunto. Francamente cada vez mais eu me decepciono com esse país falso moralista...

    ResponderExcluir
  6. as maiores redes de sinal de tv aberta divulgaram essa materia,mais como nosso amigo cavaleiro diz e verdade a pec não mostra na tv. ai brasil,obama vem ae uma faixa cobrando a pec 300 e uma boa ideia...

    ResponderExcluir
  7. Essa caso é apenas 1 entre vários que ocorrem em nosso país envolvendo policiais. Culpa do Estado que contrata, forma e abandona os profissionais da Segurança, mostra o total descontrole emocional do Praça, quem causou isso nele? Será que ele já entrou assim na Polícia? Se entrou o Estado é culpado por ter consentido o seu ingresso na força, se adquiriu esses problemas após o ingresso na corporação, o estado é mais culpado ainda por tê-lo abandonado,...

    ResponderExcluir
  8. Confiram o novo post do Sentinela. Convém refletir suas palavras.http://veritasunitatis.blogspot.com/2011/03/figura-de-batman-e-do-policial-militar.html

    ResponderExcluir