ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS NA PARAÍBA

GOVERNADOR DA PARAÍBA FALA SOBRE AQUARTELAMENTO DE MILITARES DURANTE JOGO DA COPA DO BRASIL

Ricardo diz que Estado não vai se dobrar a "terrorismo de derrotados". Governo vai reagir.

O governador Ricardo Coutinho (PSB) afirmou nesta quinta-feira (17), com exclusividade para o Portal Paraiba.com, que o governador não vai se dobrar a qualquer tipo de chantagem. A afirmação foi feita em decorrência dos acontecimentos de ontem, quarta-feira (16), a noite, quando policiais militares e seus familiares fizeram protesto pouco antes do início do jogo em Campina Grande entre a equipe do São Paulo e o Treze.

Coutinho fez questão de frisar que o governo não vai se dobrar “a alguns perdedores das eleições, carregado de terrorismo e chantagem. O governo vai dialogar com quem é de diálogo e vai reagir com quem não é de diálogo. Eu peço que a própria mídia perceba isso, que está muito além de disputa política. Isso é coisa de submundo. Não é possível que a Paraíba possa ficar na perspectiva de perder os direitos mais elementares do mundo, de ter alguém que queira semear o pânico, por achar que o governo vai achar dinheiro, vai tirar dinheiro da merenda para saldar promessas constituídas num processo eleitoral espúrio”, pontuou.

O governador disse ainda que se os policiais 'aquartelados' terão o ponto cortado, assim como os que, por ventura, entrarem em greve.

Apesar da reação forte, Coutinho afirmou que não adiantou medidas mais duras. “Não estou pensando nisso”, afirmou. Mas garantiu: “O governo não aceita chantagem, muito menos terrorismo. Ninguém vai deixar o estado, o governo ajoelhado. O que aconteceu foi muito grave. Um motim dentro de um quartel para levar pânico para torcedores, para as famílias que saem de casa para assistir um jogo transmitido para todo o Brasil”, desabafou o governador.

Segundo Ricardo Coutinho, “quem pensa que o governo se ajoelha, em função de terrorismo, vai ter uma surpresa desagradável”. No entender do socialista, a grande maioria dos policiais civis e militares não aceitam isso. “A grande maioria está fazendo o seu trabalho”, garante.

O governador vê uma espécie de coação dos policiais civis e militares “de forma bastante suspeita”. “Nós vamos proteger a legalidade e a população. O governo não vai admitir chantagem e esse tipo de manobra”, frisa.

Coutinho descartou a convocação de tropas federais para a Paraíba.

COLETIVA DISCUTE PUNIÇÃO DOS PM's QUE REALIZARAM "GREVE RELÂMPAGO" NA PARAÍBA

Terminou agora a Coletiva realizada no Palácio da Redenção a cerca da greve relâmpago realizada na noite de ontem (16), em Campina Grande. A manifestação foi organizada por policiais militares contra a suspensão da “PEC 300 da Paraíba”.

O Comandante Geral da Polícia Militar, Euller Chaves, afirmou que ainda não dá para nomear os envolvidos. Ele disse que será aberta uma sindicância para apurar o acontecimento, e, a partir dos resultados, serão tomadas as medidas cabíveis.

Para o secretário de comunicação, Nonato Bandeira, o que os policiais militares fizeram em Campina Grande chama-se vandalismo. Atear fogo e construir barricadas em frente ao II Batalhão de Polícia Militar pode ser considerado até terrorismo, segundo Nonato.

Participaram da Coletiva o comandante geral da Polícia Militar, Euller Chaves, o secretário de segurança pública, Cláudio Lima, o delegado geral da Polícia Civil, Severiano Pedro do Nascimento Filho e o secretário de comunicação, Nonato Bandeira.

A posição do Governo é de que não se intimidará com as manifestações.

A greve relâmpago foi realizada por policiais militares, que interditaram a rua em frente ao quartel na noite de ontem, impedindo a passagem de veículos. Cerca de 300 policiais foram aquartelados no II Batalhão da Polícia Militar.

Por causa disso, durante o jogo no Estádio Amigão, a segurança do local foi feita por 70 homens desarmados. Logo após o término do jogo, os policiais suspenderam a manifestação.

FONTE: Portal Paraíba e PB1

4 comentários:

  1. Os PM's da Paraíba são exemplos para todo o país. Estão lutando contra um tirano pior que Sadan Husain que se aproveita do cargo de governador para impor o terror junto com seus capachos.

    Praças e oficiais estão juntos na PB por melhorias salariais, cabe agora não recuar e saber que quem tem as ARMAS são os PM's.

    ResponderExcluir
  2. Por que será que esse hipócrita que atualmente governa a Paraíba,não pergunta aos policiais o motivo do ato na noite citada??? E quem falou que o dinheiro pra conceder o reajuste seria tirada da "merenda". Como se os políticos estivessem preocupados com merenda escolar! AH AH AH AH AH AH!!! A preocupação desses esporros é uma só. Não vai sobrar nada pro bolso deles, então não é vantagem. Porque o Brasil é rico por demais, pois desde que me entendo por gente, os políticos roubam à vontade e o país só vem crescendo economicamente. Então "Governador da hipocrisia", deixa de discurso demagogo e faça o que tem que fazer, remunere bem àqueles que realmente trabalham nesse país, os militares estaduais.

    ResponderExcluir
  3. Esse GOVERNADORZINHO, afirma que não vai ficar de joelhos,mas pq os soldados têm q ficar nesta situação?

    ...e outra coisa,falar q não vai tirar dinheiro da MERENDA ESCOLAR é no mínimo fingir q não conhece o projeto.

    A VERDADE É QUE A CABEÇA DO GOVERNADOR ESTÁ NA GUILHOTINA E SOMENTE ELE PODE EVITAR SUA "MORTE POLÍTICA"

    ResponderExcluir
  4. Na Paraíba o governo votou, aprovou, sancionou e publicou em diário oficial do estado, a chamada ''pec 300'' da Paraíba, no entanto não quer cumpri-la, alegando que o estado não dispõe de recursos financeiros para tal. O que ocorre é que, mesmo uma lei sendo devidamente aprovada e sancionada, não significa que será colocada em prática. A unica forma de fazer com que os governadores cumpram essa lei, seria através de uma grave geral, nacional, que mobilizasse todo o País, aí sim o governo tomaria vergonha e resolveria esse problema. O que adiantou a aprovação dessa lei na Paraíba? se o governo não vai cumpri-la? o que as PMs deverão fazer? cumprir a constituição federal? somos militares e não podemos fazer greve! o que iremos fazer? entrar com uma ação popular? recorrer ao supremo tribunal federal? no Rio de janeiro, a PM ganhou uma questão na justiça desde 1998 que melhorava os salários dos policiais, e até hoje nem um governador cumpriu, e nem vai cumprir, pois alegam que não tem dinheiro.o soldo de um soldado da PM no rio, é de apenas 250 reais, menos que um salário mínimo, é proibido mas pode, só não pode fazer greve...pois a polícia é militar...e tem que passar fome!!!!!!

    ResponderExcluir