JUIZ PRENDE POR DESACATO AGENTE DE TRÂNSITO QUE FAZIA BLITZ

O título já diz o resumo do fato, ocorrido no último domingo, no Rio de Janeiro, durante uma Blitz da Lei Seca. Sobre o fato, o jornal EXTRA divulgou o que disse o juiz e a agente de trânsito. Abaixo, o depoimento desta última:
“- Eu disse: o senhor é juiz e alega desconhecer a lei? Ele disse que eu o estava insultando e que me daria voz de prisão. Ele queria que o tenente da PM, que fica na operação, me prendesse. Mas como isso não ocorreu, ele mesmo deu a voz de prisão e queria que eu entrasse no carro da polícia. Mas me recusei e fui num veículo administrativo da Lei Seca até a delegacia – disse Luciana Tamburini, que trabalha na operação há dois anos, desde o início da Lei Seca.”
Já o Juiz, disse o seguinte:
“- Minha habilitação estava na bolsa da minha mulher. Estávamos em Búzios, foi meu plantão neste sábado. Voltávamos de lá, parei para comer algo e ela foi para casa, levando meu documento. Depois ela trouxe a carteira. Sobre o emplacamento, sabia que tinha uma exigência, mas não que o prazo era tão curto. Vou cobrar do despachante, que não me alertou sobre isso. Minha placa deve ser entregue nesta segunda. Acho que faltou habilidade por parte da agente. Ela me desacatou, sou um magistrado. Imagina eu, que faço Justiça, sendo injustiçado. Ela disse: Ele é juiz, não é Deus. Foi desacato.”
Tomando como verdade a matéria do EXTRA, o fato traz o símbolo da arrogância e prepotência que as elites brasileiras não se envergonham de sustentar. Cabem dois questiomentos: você, policial, já agiu de modo parecido com o juiz em destaque? Se fosse você no caso em questão, recebendo a voz de prisão, como agiria? Refletir sobre isso é fundamental.

Fonte: Abordagem Policial

8 comentários:

  1. Todo policial sabe que alguém só pode ser presa em fragante,se estiver cometendo algum tipo de crime,e agente cumpindo com seu dever agiu corretamente.

    ResponderExcluir
  2. Esses Magistrados do Brasil estão de PALHAÇADA! Podem matar seguranças de supermercados (aconteceu no Ceará), maltratar e torturar crianças indefesas (Rio de Jsnreiro), desmoralisar agentes em pleno exercício da função (em todo País), tenho conhecimento de coisas muito piores, só não vou noticiar aqui pois realmente eles se acham DEUS (coisas que presenciei)! Se isso acontecer comigo, de uma coisa tenho certeza, irei responder em todas as esferas, só que ele sera algemado e conduzido na mala de uma vtr!

    ResponderExcluir
  3. Eu "zerava" e iria para o BOPE lindo e maravilhoso.

    ResponderExcluir
  4. Art. 331 - Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela:
    Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, ou multa.


    Primeiro que ele não se encontrava no exercício da função,entretanto na segunda opção,isto é, em razão dela, haja vista ele ter se identificado como juiz.
    O polêmico é que mesmo errado ele soube utilizar à lei para sair impune ,inclusive revertendo os valores onde quem estava fazendo valer a lei foi vitimado por quem deveria cumpri-la.
    Sabendo que a lei protege excessivamente os magistrados e que sua discrição é um trunfo em suas mão.Cautela.
    -Sim senhor ,sua carta estar vencida farei o procedimento que manda a lei .Use só a lei.Ponha-o em confronto a ela, e não você ;contenha suas emoções e deixe que ele quem o desacate. Audácia ,sede prudente como as serpentes.Eles se blindam por trás da estrutura do judiciário.São convictos que ficarão em pune.Acho que o conselho dos juízes deve ser comunicado deste episódio bizarro.Mas a maior pena para um magistrado administrativamente é a aposentadoria compulsória.Alias benefício,prêmio.
    Deus é criticado,seu poder,sua perfeição, e até sua existência,mas as togas negativo.São perfeitos ,invioláveis,incorruptíveis. O conselho dos juízes que o diga :quantos já foram punidos com esta compulsória,por venda de sentença,corrupção ativa,etc.Falsos moralista .Vejam a esfinge o símbolo da verdadeira justiça com aquela venda ,sabe, dizem que ela aqui e ali dá uma olhadinha por baixo do pano.Vou parar por aqui se não ela me enxerga!!

    ResponderExcluir
  5. Peça a essa agente para formalizar uma representação contra esse juiz por abuso de autoridade, mesmo sabendo que não poderá acarretar sanção pela atitude dele, porém, ele terá que responder aos tramites de uma representação, e isso, servirá de lição. Imagine um homem desse atuando nas ruas, como nós, PMs, atuamos?!

    ResponderExcluir
  6. "Vou cobrar do despachante que não me alertou disso" Hahahahahahah! Oh piada! Vossa divindade não tinha conhecimento da lei? No Brasil especialmente, essa prática é mais comum do que se imagina. Políticos e seus agregados, juízes, promotores e advogados se acham acima de tudo e todos. As leis são para corrigir os pobres, a final ele nasceu para defender o interesse dos poderosos e ricos há muito tempo atrás (a justiça parece levitar em um tempo que não é o mesmo do nosso: há mortos esperando por decisão judicial). A polícia tem que prender "vagabundo, desocupado - leia-se desempregado, ladrão (mais quais? Os que usam armas?)". Vamos ao Princípio da isonomia está consagrado no art. 5º, caput, da CF “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”. A lei é justa porque trata os iguais com igualdade e os diferentes distintamente. Bom, agora vamos reescrever o texto original: “todos são diferentes perante a lei, com distinção de todas as naturezas”. A lei é justa para os justos que possuem dinheiro para contratar advogados, e injusta para os injustos que são o resto da sociedade. Só o “conhecimento da lei” pode nos salvar. Projeto advogado cidadão: todos os brasileiros formados em direito.

    ResponderExcluir
  7. FOLGADO DESSE É PRA SER TRUCULENTO MESMO, SER BRUTU....É ASSIM QUE NA RUA EU APRENDI, QUANDO O KRA VAI MANCINHO ELES COLOCAM A VELHA "CANGAIA" NO MANÉ, AI PINTA E BORDA, COMIGO EU PRANTAVA-LE A MÃO NOS DENTES, DEPOIS EU FALAVA "HORA EU PESSANDO QUE ERA UM CHEGADO DO PCC!"

    ResponderExcluir