GOVERNADOR ASSINA LEI CRIANDO A GUARDA MILITAR DA RESERVA E ENCAMINHA PARA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

O governador Ricardo Coutinho assinou na tarde desta segunda-feira (7), em solenidade no Salão Nobre do Palácio da Redenção, o Projeto de Lei criando a Guarda Militar da Reserva, formado por policiais militares e bombeiros que estejam nos quadros da reserva. O PL foi encaminhado para a Assembleia Legislativa e terá a função de garantir a segurança em órgãos municipais, estaduais ou federais, além de organismos não-governamentais, sediados no Estado.

Durante a solenidade, o governador também fez a afixação de divisas oficializando a promoção de 62 subtenentes e sargentos da Polícia Militar. Participaram do ato o vice-governador Rômulo Gouveia, o secretário da Segurança, Cláudio Lima, o Comandante da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, o Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Jair Carneiro de Barros, o procurador-geral de Justiça, Oswaldo Trigueiro, além de policiais da ativa e da reserva.

Coutinho ressaltou que essa é uma oportunidade singular na Polícia Militar por possibilitar que militares da reserva voltem à ativa protegendo o patrimônio público, fazendo guardas em determinados órgãos, presídios e executando ações administrativas nos quartéis. “É uma forma de reabrir um mercado de trabalho que havia sido fechado e, ao mesmo tempo, possibilitando que policiais com desvio de funções estejam nas ruas promovendo a segurança e uma cultura de paz no Estado”.
Ricardo pediu pressa na apreciação da matéria pela Assembleia para que possa sancionar a Lei e abrir imediatamente as inscrições dos interessando em participar da guarda da reserva. Ele agradeceu o empenho dos policiais militares e civis e garantiu que irá priorizar as promoções da polícia por mérito e merecimento.

O secretário de Segurança, Cláudio Lima, informou que após a inscrição os policiais passarão por uma seleção e um treinamento na Academia de Polícia Militar para voltar à atividade. O secretário informou que os militares interessados deverão se inscrever no Comando Geral da Polícia Militar. A solicitação desses policiais deverá ser realizada diretamente ao governador pelos órgãos que tenham a intenção de dispor do serviço, que ficarão responsáveis pelo pagamento do trabalho prestado através da chamada Bolsa Especial de Atividade Militar de Reserva, a ser disciplinada através de decreto pelo chefe do Executivo.

Os integrantes da Guarda Militar da Reserva receberão uma bolsa especial de atividade militar da reserva, fardamento e equipamentos, na forma da legislação específica; armamento e equipamento de proteção individual e a critério do órgão onde desempenham a função; alimentação e diárias e transporte, quando em deslocamento para a realização de atividades fora da sede.

O comandante da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, destacou o caráter cidadão da guarda militar por beneficiar o cidadão com mais efetivo nas ruas e o militar da reserva recolocado no mercado. “É uma ação positiva para a segurança do Estado”. O coronel da reserva Ardenildo Morais destacou a importância da medida por possibilitar que as atividades de apoio sejam reforçadas com a experiência de profissionais que ao longo de uma vida se capacitaram e agora poderão dar esse retorno para o Estado e a sociedade e melhorar sua renda mensal.

3 comentários:

  1. Isso pode ser até algo bom, mas vocês sabem quais são as condições desses trabalhadores que já deram a vida para a polícia? Esse pessoal não tem direito a férias, que era para ser um direito para todos os trabalhadores, eles na maioria das vezes trabalham com a carga horária igual ao pessoal da ativa e alguns ainda trabalhando na 24/48, etc. Temos que lutar também pelos direitos dessas pessoas que passaram a vida na polícia militar e infelizmente ainda tem de complementar o salário, mesmo tendo trabalhado 30 anos arriscando sua vida.

    ResponderExcluir
  2. Isso é a mesma coisa da peia mole aqui do RN,mudou apenas o nome,ou seja, policiais da reserva que são utilizados como vigias noturnos em escolas, creches e prédios do governo.alguns deles já beirando os 80 anos.

    ResponderExcluir
  3. Acho uma vergonha um militar da reserva ter que voltar ao trabalho! Se esses guerreiros ganhasse bem ou a PEC300 fosse aprovada, duvido que esse Governador conseguisse alguém da reserva que se candidatasse a uma dessas vagas!!! Quanto ao caso dos policiais da ativa que estão com desvio de funções, o próprio governo é o principal culpado disso, então não adianta "Tapar o sol com a peneira", os concursos públicos, deveriam ter suas funções definidas já no ingresso, principalmente dentro dos próprios Batalhões. Essa é só mais uma forma de ludibriar o profissional, depois vão querer aumentar o tempo de serviço dos policiais, alegando que eles podem realizar suas tarefas normais após a idade atingida. Abraço a todos!!!

    ResponderExcluir